Publicidade
Publicidade
Publicidade

centro

Brás se firma com condomínios que apostam em serviço de hotel e lazer

O Brás pode não parecer uma região particularmente residencial com seu comércio pulsante e amplos galpões remanescentes do passado industrial. O bairro tem poucos prédios em comparação com o resto do centro –64,22% das residências estão em edifícios, enquanto Santa Cecília, Bela Vista e Centro têm taxas de verticalização acima de 90%.

A chegada de empreendimentos residenciais, com amplas áreas de lazer, tem tudo para mudar esse cenário.

É o caso do Piscine Station, da construtora Gamaro, cuja área de piscina simula uma praia. Trata-se de um tanque de borda infinita com 45 metros de comprimento, inspirado na piscina do hotel Marina Bay Sands, que fica em Cingapura.

Bruno Santos/Folhapress
Elba Ramalho e Geraldo Azevedo se apresentam na 7ª edição do Rock in Rio, no Parque Olímpico (zona oeste), nesta sexta
O casal Sandra Barbosa e Cesar Moraes com a filha, Maria Clara, no Piscine, onde compraram imóvel

O entorno tentará imitar uma praia com o mobiliário, que incluirá espreguiçadeiras, cadeiras de praia e guarda-sóis, e com a vegetação, repleta de palmeiras.

O condomínio terá ainda um bosque com mais de 2.000 árvores da mata atlântica, de mais de 70 espécies.

"Queremos dar ao morador uma sensação de praia paradisíaca, e que ele tenha o prazer de conviver no condomínio e trazer amigos para desfrutar dos benefícios", diz Vinicius Amaro, diretor de incorporação da Gamaro.

O gerente de projetos Cesar Moraes, 51, comprou um imóvel de 57 metros quadrados no Piscine pensando na diversão da filha Maria Clara, 7. Ele e sua mulher, a administradora Sandra Barbosa, 47, também gostaram da simulação de paraíso natural.

"A praia artificial foi um atrativo, não há como negar, e a área de vegetação chamou muito a atenção", diz Moraes. Na casa em que a família mora hoje, em Cidade Patriarca (zona leste de São Paulo), as opções de lazer são bem mais escassas.

O Piscine terá 894 apartamentos de 40 a 70 metros quadrados, com plantas de um a três dormitórios. O valor médio de metro quadrado é de R$ 6.000.

Outro empreendimento com uma área comum pouco usual no Brás é o Praças da Cidade, da Cyrela, com apartamentos de um ou dois dormitórios e áreas privativas de 55 a 94 metros quadrados. O valor médio do metro quadrado é de R$ 5.200.

O condomínio conta com 15 praças de convivência. A ideia, segundo Eduardo Leite, diretor de incorporação da Cyrela, é dar uma atmosfera de bairro planejado ao empreendimento.

"Queremos oferecer um novo bairro, com praças, árvores, calçadas largas e espaços aconchegantes, para valorizar mais o entorno e a região", diz. A área comum do Praças da Cidade contará com brinquedoteca, churrasqueira, academia e piscina.

COMODIDADE

Os novos prédios do Brás têm outros atrativos além de opções de lazer. O BR Caetano, da Bracon, com apartamentos de um dormitório, com áreas de 27 a 38 metros quadrados, e preço do metro quadrado a R$ 7.000, oferecerá serviços de hotel como arrumação, limpeza, alimentação, personal trainer e gestão patrimonial.

"O principal público do empreendimento é o solteiro jovem", diz Alon Nussbacher, sócio-diretor da Bracon.

Marcelo Justo/Folhapress
SAO PAULO - SP - 18.11.2015 - A eNext, dos irmãos Dante Gabriel, oferece serviços e tecnologia para lojas virtuais. Pela internet, encontraram representantes comerciais nos EUA para oferecer os serviços da empresa naquele mercado.. (Foto: Danilo Verpa/Folhapress, TREINAMENTO)
O microempresário Jorge Minicelli em seu apartamento no BR Caetano, no Brás

Para o microempresário Jorge Minicelli, 36, que viverá sozinho em um apartamento de 32 metros quadrados do BR Caetano, a localização do prédio e a preocupação ambiental do empreendimento -que segue o conceito de "edifício sustentável" –pesaram mais na compra.

"Gostei muito de ideias como captar água da chuva, reaproveitar a água do chuveiro e usar painéis solares. É esse o tipo de vida que quero ter", afirma Minicelli.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
DFP -->