Publicidade
Publicidade
Publicidade

Novo Audi Q5, produzido no México, chega ao Brasil em agosto

A segunda geração do SUV Audi Q5, já lançada mundialmente, chegará em meados de agosto ao Brasil.

O modelo passará a ser importado do México e não mais da Alemanha. O preço do carro, porém, não deve cair, apesar do acordo comercial automotivo entre os governos brasileiro e mexicano -que prevê a isenção da alíquota de 35% do imposto de importação de veículos.

"Ainda estamos definindo o valor com a matriz alemã e também com a Audi México, mas estamos trabalhando para trazer o Q5 por um preço competitivo", afirma Thiago Lemes, diretor de vendas da empresa no Brasil.

Atualmente, a primeira geração do Q5 custa a partir de R$ 231.990 no Brasil. Seus rivais diretos, BMW X3 e Mercedes-Benz GLC, partem de R$ 262.900 e R$ 230.950, respectivamente.

A maior mudança do novo Q5, testado pela reportagem da Folha na cidade mexicana de San Jose Chiapa, onde fica a fábrica da Audi, está na parte frontal, totalmente redesenhada. Já os vincos laterais foram mantidos, e a traseira teve pouca alteração.

Divulgação
Audi Q5 2018 ***DIREITOS RESERVADOS. NÃO PUBLICAR SEM AUTORIZAÇÃO DO DETENTOR DOS DIREITOS AUTORAIS E DE IMAGEM***
O novo modelo do Audi Q5 2018, que desembarca no país em agosto

No interior do carro também há diferença, com a melhora da já elogiável ergonomia do modelo anterior. A disposição dos equipamentos e a facilidade de operá-los, além do painel Virtual Cockpit, acabam fazendo do veículo uma referência nesse quesito atualmente.

O espaço é farto na frente, mas poderia ter sido ampliado na segunda fileira. Embora tenha ficado maior em todas as dimensões, o Q5 praticamente não mudou no entre-eixos, que passou de 2,81 para 2,82 metros. Já o porta-malas de 550 litros suporta a bagagem de quatro adultos com facilidade.

Até 90 kg mais leve do que seu antecessor e equipado com um motor 2.0 turbo de 252 cv, o novo SUV é desenvolto. Se comporta como um carro mais baixo nas curvas, se mantém firme mesmo em altas velocidades e traz uma direção leve e acurada.

Nada que surpreenda o condutor, contudo. E isso é uma boa notícia: ser previsível foi o que atraiu 1,6 milhão de compradores, que sabiam o que encontrariam no SUV.

OUTROS MEXICANOS?

Quem visita a nova fábrica da Audi no México sai de lá impressionado com os 460 hectares da 12ª planta da empresa no mundo. Mas também fica se perguntando: tudo isso apenas para a nova geração do Q5?

Bernardo Mercado, porta-voz da unidade fabril, desconversa sobre a possibilidade de novos modelos.

"Não há previsão de outros carros, por enquanto. A matriz nos avisa de última hora", afirma.

Candidatos não faltam para dividir a linha de produção: o Q5 compartilha sua base com os sedãs A4 e A5, além do Porsche Macan. Seja qual modelo for o escolhido, ainda é confidencial.

O jornalista viajou ao México a convite da montadora Audi

Publicidade
Publicidade
Publicidade