Publicidade
Publicidade
Publicidade

Toyota Corolla, sedã mais vendido, enfrenta o econômico Chevrolet Cruze

O consumidor de sedãs não tinha dúvidas em 1998: o Chevrolet Vectra era mais interessante que o recém-lançado Toyota Corolla nacional, então em sua oitava geração. Naquele ano, o modelo da General Motors foi o líder de seu segmento, com mais de 32 mil emplacamentos.

Quase 20 anos depois, é o carro de origem japonesa que está na frente.

"A identidade da marca no Brasil foi construída em cima do Corolla, temos um dos maiores índices de fidelização do mercado", afirma Roger Armellini, gerente-geral de planejamento de produto e preço da Toyota no Brasil.
Enquanto os japoneses cresciam, a Chevrolet tentava superar sua crise global, que travou investimentos.

O Vectra só mudou em 2005, e seu nome resistiu até 2011. Aí surgiu o Cruze, que em 2016 chegou à segunda geração e, no mês de julho, ultrapassou o Honda Civic, ficando em segundo lugar entre os sedãs médios mais vendidos do mercado nacional.

Contudo, são muitos os quilômetros até chegar perto do líder Corolla, que já contabiliza 35 mil emplacamentos em 2017 -três vezes mais que o modelo Chevrolet.

CINZA

Colocados lado a lado na garagem em suas versões intermediárias, os carros mostram semelhanças nos tons cinza da forração de couro e no espaço interno, com ligeira vantagem para o Toyota, de estilo conservador: o painel dessa 11ª geração do modelo japonês parece ter sido desenvolvido há dez anos.

O Cruze LTZ avaliado é superior em motorização e tecnologias de bordo, itens valorizados em uma faixa de preço que parte de R$ 90 mil.

"Nossas pesquisas mostram que o Cruze vem conquistando consumidores de outros produtos no segmento em razão das inovações tecnológicas, como sistemas de conectividade total, além da eficiência energética proporcionada pela motorização turbo", afirma Rodrigo Fioco, diretor de marketing de produto da Chevrolet.

De fato, o motor turbinado do sedã de origem americana foi superior em desempenho e consumo, como mostram os números do teste Folha-Mauá. É o carro mais econômico de seu segmento.

Porém, no uso cotidiano, o Corolla XEI 2.0 flex mostra o porquê de ser tão querido. A carroceria é tão alta quanto a de utilitários compactos, e nem as novas rodas de 17 polegadas prejudicam o conforto ao rodar. A Toyota fez um ajuste fino de suspensão, além de incluir controles de estabilidade e sete airbags em todas as versões.

O Cruze tem apelo mais esportivo, tanto em estilo quanto em desempenho. A carroceria se encaixa bem nas definições rebuscadas dos designers: "Formas fluidas, linha de cintura elevada...".

O Corolla é mais retilíneo e imponente. As mudanças feitas recentemente pela Toyota escureceram as lanternas traseiras e deram mais destaque aos cromados frontais. É o automóvel que o manobrista irá deixar na porta do restaurante enquanto não houver um Mercedes ou BMW para ocupar a vaga.

Ao comparar as listas de equipamentos, o Cruze abre vantagem. Seu maior destaque é o sistema On Star, que se conecta a uma central de atendimento que pode pedir socorro em caso de acidente, enviar um endereço para o sistema de navegação ou fazer reserva no mesmo restaurante em que o Corolla estará parado na porta.

Menos tecnológico e com ar mais senhoril, o sedã Toyota fica em primeiro nas vendas, mas na segunda colocação neste teste comparativo. Contudo, a marca parece não se abalar com isso.

"A Toyota precisa mudar o motor do Corolla? Não é isso que o cliente pede hoje para a gente. Não estamos aqui para termos o carro mais rápido, estamos aqui para oferecer a melhor experiência de compra, com baixo custo de manutenção", afirma o gerente-geral da Toyota.

FICHA TÉCNICA

CHEVROLET CRUZE LTZ

MOTOR Dianteiro, flex, turbo, 1.399 cm³
POTÊNCIA 153 cv (e) a 5.200 rpm e 150 cv (g) a 5.600 rpm
TORQUE 24,5 kgfm (e) a 2.000 rpm e 24 kgfm a 2.100 rpm
CÂMBIO Automático, de seis marchas
PORTA-MALAS 440 litros
PESO 1.315 kg
PNEUS 215/50 R17
ACELERAÇÃO (0 A 100 KM/H) 8,9s (e) e 9,3s (g)
RETOMADA (80 A 120 KM/H) 5,9s (e) e 6,1s (g)
CONSUMO URBANO 8,4 km/l (e) e 11,7 km/l (g)
CONSUMO RODOVIÁRIO 13,3 km/l (e) e 18,2 km/l (g)
PREÇO R$ 104.990

TOYOTA COROLLA XEI

MOTOR Dianteiro, flex, 1.986 cm³
POTÊNCIA 154 cv (e) e 143 cv (g) a 5.800 rpm
TORQUE 20,7 kgfm (e) e 19,4 kgfm a 4.800 rpm
CÂMBIO Automático tipo CVT, que simula sete marchas
PORTA-MALAS 470 litros
PESO 1.315 kg
PNEUS 215/50 R17
ACELERAÇÃO (0 A 100 KM/H) 9,8s (e) e 10,8s (g)
RETOMADA (80 A 120 KM/H) 6,9s (e) e 7,6s (g)
CONSUMO URBANO 7,8 km/l (e) e 11 km/l (g)
CONSUMO RODOVIÁRIO 12,7 km/l (e) e 15,8 km/l (g)
PREÇO R$ 103.990

Publicidade
Publicidade
Publicidade