Publicidade
Publicidade
Publicidade

BMW lança primeira motocicleta compacta no país, a G 310 R

Bruno Guerreiro/Divulgação
G 310 R durante teste no interior de São Paulo
G 310 R durante teste no interior de São Paulo

Principal novidade da BMW para este ano, a motocicleta G 310 R, a primeira compacta da marca alemã a chegar ao país, teve cem unidades comercializadas, em pré-venda, em três semanas.

Equipado com motor de um cilindro e freios ABS, além de dois anos de garantia sem limite de rodagem, o modelo sai por R$ 21,9 mil.

A G 310 R é produzida na nova fábrica da BMW em Manaus (AM), com componentes importados –a maioria deles produzidos pela parceira indiana TVS.

Mesmo diante do resultado da pré-venda, Federico Alvarez, presidente da BMW Motos do Brasil, afirmou que "ainda é cedo para falar sobre números". O modelo chegou às lojas em agosto.

"Trata-se de um segmento inédito para nós, portanto preferimos 'farejar' como a moto se comportará nesse nicho. Daí saberemos como será acertada a produção, e também os serviços de pós-venda", disse.

A G 310 R tem três concorrentes principais no setor de compactas, todos na mesma faixa de preço: Yamaha MT-03 (R$ 21,2 mil), KTM Duke 390 (R$ 21, 2 mil) e Kawasaki Z 300 (R$ 20,9 mil).

Bruno Guerreiro/Divulgação
Painel de cristal líquido
Painel de cristal líquido

AVALIAÇÃO

A Folha avaliou a nova moto no circuito do Haras Tuiuti, no interior de São Paulo.

A primeira impressão foi de que o acabamento segue o padrão BMW: bem cuidado e sem peças mal encaixadas.

Posicionado de modo inverso ao que se encontra na maioria das motos, o motor de um cilindro tem a aspiração na frente, o que resulta numa distância menor entre os eixos e uma balança traseira, de alumínio, mais comprida. Além disso, a disposição minimiza o calor do escapamento e disponibiliza ar mais fresco para o motor.

Na prática, isso torna a moto, que tem 158,5 kg, muito ágil nas curvas e nas mudanças de trajetória.

O motor, com 313 cm³, refrigeração a líquido e cabeçote de quatro válvulas, rende 34 cavalos a elevadas 9.200 rotações por minuto.

Durante as voltas pelo circuito, ficou a impressão de que poderia ser mais "aceso" em rotações mais baixas. Isso porque o modelo demanda giros mais altos para mostrar seu poderio –no caso, acima de 6.000 rpm. Na comparação com concorrentes equipados com dois cilindros, não entrega suavidade.

A transmissão traz engates certeiros e faz par com uma embreagem macia, auxiliando a moto a ter agilidade. A sexta marcha tem relação mais longa, boa para estradas. Os freios a disco, da Bybre (braço indiano da grife Brembo), tem potência satisfatória, assim como a ação do sistema ABS.

Bruno Guerreiro/Divulgação
Traseira da motocicleta G 310 R
Traseira da motocicleta G 310 R

ENCAIXE

O assento é composto de espuma densa e tem altura mediana de 785 mm em relação ao solo. A configuração, em conjunto com as pedaleiras, deixa as pernas em posição relaxada na hora de pilotas. Pequeno, o tanque tem capacidade para 11 litros.

Já o guidão é montado sobre pequenos suportes de borracha, o que ajuda a amenizar a vibração da máquina. Além disso, revela bom esterço para o uso urbano.

Os destaques ficam para o painel de cristal líquido amplo e completo em informações e para a suspensão dianteira, do tipo invertido.

Por enquanto, o modelo está disponível em três cores: azul, branco e preto.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
DFP -->