Publicidade
Publicidade
Publicidade

Emplacar carro novo por conta própria gera economia de até R$ 600

Adriano Vizoni/Folhapress
A contadora Alessandra dos Santos na garagem do Detran de Santo André (SP)
A contadora Alessandra dos Santos na garagem do Detran de Santo André (SP)

A contadora Alessandra dos Santos, 32, não imaginava o quanto teria de pagar pelo licenciamento de seu Ford Ka zero-quilômetro caso optasse fazer o serviço por meio do despachante indicado na concessionária.

"Cobraram R$ 400 apenas pelo serviço, sem incluir taxas e impostos obrigatórios", diz ela. Há casos em que o valor sugerido para a mão de obra chega a R$ 600, de acordo com revendas consultadas pela reportagem.

A contadora pesquisou quais eram os procedimentos necessários para emplacar seu carro por conta própria -e viu que era possível fazer uma boa economia.

"Descobri também que poderia personalizar a placa do veículo mediante o pagamento de uma taxa extra e resolvi escolher as letras e números", afirma Alessandra, que gastou R$ 97 com o serviço.

Segundo o Detran-SP, o valor cobrado pela escolha da placa serve para "custear e manter o sistema informatizado implantado para a execução do serviço".

Quem não quiser escolher números e letras pode optar por uma entre 20 combinações aleatórias fornecidas pelo departamento de trânsito, sem pagar a tarifa extra.

O primeiro passo para iniciar o emplacamento é retirar o kit de documentos na concessionária, composto por nota fiscal do veículo adquirido e decalque do chassi, que é a "carteira de identidade" do automóvel.

Para obter o decalque, é preciso colocar uma etiqueta adesiva branca sobre a sequência de letras e números, que é gravada em baixo relevo. A marcação pode ser encontrada próximo ao motor ou no assoalho do carro, perto das portas. A localização exata está disponível no manual do automóvel.

O comprador precisa passar um lápis -preferencialmente os utilizados em carpintaria, com ponta mais grossa- sobre esse código. Os materiais são encontrados em papelarias. As etiquetas brancas custam, em média, R$ 10 (pacote com dez unidades). O lápis sai por R$ 2.

A contadora cumpriu essas etapas e afirmou que não teve problemas para dar entrada no processo de licenciamento, feito em uma unidade do Poupatempo -que desde 2012 funciona de forma integrada com o Detran-SP.
Mas nem tudo foi tão simples.

"Os atendentes não sabiam me explicar corretamente como proceder para fazer o pagamento das taxas, demorou um pouco até que um deles conseguisse me orientar", afirma a contadora.

Para a direção do Detran-SP, problemas como o relatado por Alessandra são pontuais. De acordo com Maxwell Vieira, diretor-presidente do órgão, a reformulação das unidades de atendimento permitiu desburocratizar processos. "Atingimos no primeiro semestre de 2017 uma média de 96% de aprovação."

No fim, Alessandra diz ter ficado satisfeita com a economia de R$ 400 com despachante. "Eu pensava que fosse mais difícil. Valeu a pena ter ido atrás de tudo por conta própria."

*

SAIBA O QUE DEVE SER PAGO E QUAIS SÃO OS DOCUMENTOS NECESSÁRIOS

NÃO SE ESQUEÇA

- O registro do veículo 0km deve ser feito em até 30 dias após a emissão da nota fiscal. O documento não assegura o direito de transitar sem identificação

- A solicitação de emplacamento deve ser realizada na unidade de trânsito do município de residência do proprietário

QUAIS DOCUMENTOS SÃO NECESSÁRIOS PARA INICIAR O PROCESSO?

- Nota fiscal do veículo

- Decalque do número do chassi original

- Cópia e original da carteira nacional de habilitação ou do RG

- Cópia e original do comprovante de endereço (emitida há, no máximo 3 meses)

COMO FAZER O REGISTRO DO VEÍCULO

- Nas novas unidades do Detran-SP, principalmente as que funcionam dentro do Poupatempo, é preciso realizar um agendamento eletrônico e selecionar a opção Veículos - Outros serviços.

- Nessas unidades, o atendente preencherá um formulário que conterá todas as informações do seu carro para finalizar o processo. Nas unidades de Santa Bárbara d´Oeste e de Sorocaba, o agendamento deve ser feito presencialmente

- Se na cidade em que o carro será licenciado não houver Poupatempo com uma unidade do Detran-SP, é preciso comparecer à unidade de trânsito para obter o número das placas (caso opte pela personalização, é indicado levar pelo menos 20 sugestões de combinações)

- Após a conclusão dessas etapas, o dono do carro será informado do prazo para entrega das placas. Após recebê-las, basta levar o veículo até a unidade de trânsito para realizar o emplacamento

O QUE É PRECISO PAGAR

R$ 278,28*
Taxa referente ao primeiro registro do veículo no Estado, através do CPF/CNPJ

R$ 125,53*
Taxa referente a lacração, no caso do automóvel, código 31, através do CPF/CNPJ

R$ 97,07
Taxa referente a personalização de placas (opcional), através do CPF/CNPJ

IPVA**
Cota integral ou a primeira parcela

Seguro obrigatório/DPVAT**

*Taxas que podem ser pagas em bancos conveniados

** Essas taxas devem ser pagas diretamente na unidade de trânsito.

Fonte: Detran-SP

Publicidade
Publicidade
Publicidade