Publicidade
Publicidade
Publicidade

Primeira picape da Mercedes chega ao Brasil em 2019

A alemã Mercedes-Benz entra no mercado de picapes com o modelo Classe X, que chegará ao Brasil no início de 2019. O utilitário será produzido na Argentina, em parceria com a Renault-Nissan.

A versão avaliada em um teste de 500 quilômetros pelo Chile tem motor 2.3 a diesel, com 190 cv de potência.

Embora compartilhe elementos da atual geração da picape de origem japonesa Nissan Frontier, o modelo da Mercedes é mais luxuoso. Os bancos têm ajustes elétricos e sistema de aquecimento.

Contudo, a "gourmetização" não foi aplicada por completo. O acabamento interno da Classe X tem partes de plástico duro e sem textura, além de muitos resquícios da Frontier –até a chave tem o mesmo formato.

Os alemães se esforçam para tentar provar que seu utilitário é mais nobre.

"Há componentes vindos da Nissan, mas nós evoluímos todos eles. Analisamos a Frontier por completo e alteramos o necessário para criar um veículo com o DNA de nossa marca", diz Frank Schumacher, engenheiro da Mercedes-Benz.

As maiores diferenças surgem quando a Classe X entra em movimento. O ruído do motor a diesel é praticamente nulo, bem como as vibrações em marcha lenta. A 120 km/h, os ocupantes não ouvem nem o som do vento passando pelos retrovisores.

A estabilidade é elogiável: a carroceria inclina pouco nas curvas e não há o pula-pula típico das picapes desse porte. Resta saber como será o comportamento da suspensão ao transitar pelas vias esburacadas do Brasil.

A direção hidráulica é bem calibrada para rodar em velocidades altas, mas não facilita a vida do motorista nas manobras de estacionamento. O volante, que só tem regulagem de altura, fica bastante pesado nessa situação.

Recursos eletrônicos ajudam a encaixar o carro de 5,27 metros nas vagas: há sensores de obstáculos dianteiros e traseiros, além de câmeras instaladas por todos os lados da carroceria.

A junção das imagens resulta em um desenho virtual da picape Mercedes, como se o veículo e o que está ao redor estivessem sendo vistos de cima.

A versão avaliada –que deverá custar cerca de R$ 230 mil– traz assistente de manutenção de faixa (faz o volante vibrar levemente quando a roda invade a outra pista), faróis com LEDs, sete airbags e controles eletrônicos de estabilidade e de tração.

A central multimídia tem tela de 8,4 polegadas que não é sensível ao toque. Seu uso é pouco intuitivo.

O espaço interno é suficiente para cinco adultos. Há encosto de cabeça e cinto de três pontos para todos, e também saídas de ventilação para quem viaja atrás. O ar-condicionado é digital, com duas zonas independentes de temperatura. A capacidade total de carga é de 1.016 quilos na versão avaliada.

Caso siga o posicionamento adotado na Europa, a picape Mercedes vai custar entre 10% e 20% a mais que as concorrentes. A marca pretende que a Classe X seja vista como um carro de luxo, apesar da enorme caçamba lá atrás, feita para o trabalho pesado.

O jornalista viajou a convite da Mercedes-Benz do Brasil

Publicidade
Publicidade
Publicidade