Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
03/10/2010 - 09h28

Público infantil procura entretenimento, diz estudo

Publicidade

EMERSON KIMURA
COLABORAÇÃO PARA A FOLHA

Ao navegar, crianças procuram entretenimento, são impacientes, confundem-se facilmente, gostam de animações e sons, não distinguem propaganda de conteúdo e preferem recorrer aos favoritos a fazer buscas.

Essas são algumas conclusões de um estudo da Nielsen Norman Group sobre usabilidade na web, que envolveu usuários com idades entre três e 12 anos e é voltado a quem projeta sites infantis.

Enquanto adultos usam a web mais para trabalho, informação e comunicação --e recorrem muito a ferramentas de pesquisa--, crianças procuram entretenimento --e preferem usar links dos favoritos a fazer buscas.

Tanto adultos quanto crianças têm pouca paciência na web, mas os primeiros têm uma predisposição maior para entender a navegação do site ou aguardar o seu carregamento. As crianças exigem interface simplificada e resultados imediatos.

Elas tendem a explorar mais o site, ao ponto de clicarem aleatoriamente pela página para ver o que acontece. Adultos, acostumados com padrões de navegação, agem de maneira mais focada.

O estudo constatou que crianças hesitam mais que adultos em enviar informações pessoais e são bem sensíveis a diferenças de idade.

Durante um teste, uma criança com seis anos reclamou: "Esse site é para bebês, talvez com quatro ou cinco anos. Dá pra saber por causa dos desenhos e dos trens".

"Embora você possa ver tanto pessoas de cinco quanto de seis anos como "crianças pequenas", na mente de uma de seis anos a diferença entre elas é vasta", explica o guru da usabilidade Jakob Nielsen em seu site Alertbox.

Ao comparar o novo estudo com um semelhante feito há nove anos, concluiu-se que as crianças hoje são mais experientes e têm menos dificuldades com computadores, pois começam a usá-los cada vez mais cedo.

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página