Descrição de chapéu The Washington Post

Ursa polar faminta que foi vista revirando lixo em cidade russa é resgatada

Animal está gravemente doente e receberá tratamento em um zoológico

Lindsey Bever
The Washington Post

Uma ursa polar faminta que foi vista nesta semana revirando lixo à procura de comida em uma cidade industrial na Sibéria foi resgatada e receberá tratamento em um zoológico, informou a mídia local.

O animal apareceu no último final de semana na cidade russa de Norilsk (a cerca de 800 km de seu habitat natural) e vagou por dias em busca de alimento. Fotografias que circularam pela internet mostravam a ursa com patas enlameadas atravessando uma rua movimentada, revirando lixo e deitada no chão com aparência exausta.

Profissionais do zoológico Royev Ruchey, em Krasnoyarsk, disseram ao jornal Siberian Times que ela precisava de atendimento médico urgente.

Ursa polar que estava solta em Norilsk chega a zoológico Royev Ruchey - Ilya Naymushin/Reuters

Especialistas em fauna silvestre foram chamados para avaliar a situação da ursa e determinar se ela pode ser levada de volta ao seu habitat natural no Ártico. Mas, após sedá-la, disseram que ela está gravemente doente —ao menos em parte por ter se alimentado de lixo.

Um veterinário disse ao Siberian Times que a ursa polar está sendo “isolada para afastá-la de atenção desnecessária”.

“Ficou claro desde que a vimos que ela estava altamente estressada por estar na cidade e cercada de pessoas”, disse o veterinário Georgy Belyanin.

Inicialmente foi presumido que o animal teria percorrido centenas de quilômetros para chegar à cidade, mas agora especialistas pensam que ele pode ter sido capturado ainda filhote e criado em cativeiro por caçadores ilegais com a intenção de vender sua pele, de acordo com o jornal.

Especialistas disseram que geralmente são ursos machos, e não fêmeas, que migram por longas distâncias, e observaram que a ursa em questão estava limpa demais para ter feito um percurso tão longo.

É possível que os caçadores tenham libertado o animal para evitar serem descobertos e punidos, afirmaram profissionais ao Siberian Times.

A caça de ursos polares é proibida na Rússia há mais de 60 anos. Mesmo assim, estima-se que até 200 deles sejam mortos anualmente na região do Extremo Oriente. 

No ano passado, o país endureceu penalidades impostas à caça ilegal de ursos polares, informou o jornal.

O incidente em Norilsk remete a um caso ocorrido este ano em que dezenas de ursos polares invadiram um arquipélago russo no oceano Ártico. Em fevereiro, segundo relatos locais, cerca de 50 ursos polares apareceram em Novaya Zemlya, em edifícios, playgrounds e no aterro sanitário local.

Como informou na época o repórter do Washington Post Isaac Stanley-Becker, as autoridades declararam estado de emergência.

Muitas pessoas ficaram com medo de sair de casa ou deixar seus filhos brincarem fora de casa, e militares passaram a ser levados a seus locais de trabalho em veículos especiais.

Como informou Stanley-Becker, o urso polar "é classificado como espécie vulnerável devido à perda atual e potencial de seu habitat gelado marinho em decorrência da mudança climática", segundo o World Wildlife Fund.

A União Internacional para a Conservação da Natureza estima que há entre 22 mil e 31 mil ursos polares no mundo. 

Tradução de Clara Allain

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.