Primeiro-ministro britânico promete R$ 50 milhões para a Amazônia

Boris Johnson está na França para encontro da cúpula do G7

Biarritz (França) | AFP

O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, prometeu nesta segunda-feira (26) 10 milhões de libras (cerca de R$ 50 milhões) em fundos para a Amazônia após uma onda de queimadas atingir a floresta, despertando preocupação mundial

O dinheiro será disponibilizado imediatamente para ajudar a restaurar o habitat, disse o governo britânico em um comunicado divulgado durante encontro da cúpula do G7, fórum do qual o Brasil não é parte, em Biarritz, na França.

O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, durante encontro da cúpula do G7 na França - Dylan Martinez - 26.ago.2019/Reuters

"Em uma semana em que todos nós vimos, horrorizados, como a selva amazônica arde diante de nossos olhos, não podemos escapar da realidade do dano que estamos infligindo à natureza", disse Johnson, segundo a nota.

A promessa de fundos foi anunciada depois que o presidente da França, Emmanuel Macron, anfitrião da cúpula, disse, neste domingo (25), que as potências do G7 concordaram em ajudar os países afetados pelos incêndios o mais rápido possível.

Macron prometeu "meios técnicos e financeiros" em resposta aos incêndios que consomem partes da floresta.

Os incêndios na região amazônica tiveram destaque nos principais jornais do mundo entre sexta e sábado (24), quando a cúpula do G7 teve início em Biarritz.

O assunto ganhou força depois que Macron usou suas redes sociais na sexta (23) para dizer que se tratava de uma "crise internacional" e que o tema seria levado por ele ao encontro do G7.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.