Óleo chega à praia de Maragogi, em Alagoas

Fuzileiros e mergulhadores vão verificar impactos nos recifes de corais no litoral de Alagoas

Matheus Moreira
São Paulo

As manchas de óleo que atingem praias do Nordeste desde 30 de agosto, ainda de origem desconhecida, chegaram na quarta-feira (16) à praia de Maragogi, no litoral norte de Alagoas. Até o momento, 25 locais no estado foram afetados. 

Alagoas foi o quarto estado no Nordeste a ser atingido pelo óleo. A primeira praia afetada na região, em 7 de setembro, foi a de Japaratinga, que voltou a ser atingida por manchas em dois pontos diferentes também nesta quarta-feira, segundo informações do Ibama.

No município de Japaratinga fica a APA (Área de Proteção Ambiental) Costa dos Corais, a maior unidade de conservação marinha do país. Por isso, 180 fuzileiros e um navio com mergulhadores devem trabalhar para verificar se houve impacto nos recifes de corais. 

O governo de Alagoas enviou para a região kits com equipamentos de proteção individual como máscaras, luvas, peneiras e botas a serem distribuídos para os voluntários.

“O diretor-presidente do IMA [Instituto do Meio Ambiente de Alagoas] e o secretário de Meio Ambiente e Recursos Hídricos informaram que homens da Defesa Civil Estadual, reeducandos do sistema prisional e servidores de todas as secretarias de Estado vão se juntar aos municípios do Litoral Norte no trabalho de limpeza das praias. Serão disponibilizadas, também, caçambas e retroescavadeiras”, diz a nota do instituto.

Ainda na quarta, o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, sobrevoou ao lado do vice-governador, Luciano Barbosa (MDB), o litoral norte de Alagoas para conferir o estado das praias afetadas. Durante a noite, voluntários participaram de um mutirão para remover o óleo da praia. 

Até o momento, não se sabe de quem é a responsabilidade pelo surgimento do óleo, mas, segundo análises do material encontrado nas praias do litoral nordestino, o petróleo é de origem venezuelana, o que não quer dizer que a responsabilidade pela crise ambiental seja do governo da Venezuela. 

Pesquisadores especializados em dinâmica de correntes marítimas fizeram simulações de computador e chegaram a resultados que indicam que a origem das manchas de óleo nas praias do Nordeste está no alto-mar, a pelo menos 400 km da costa. 

Em nota, a Marinha aponta que já foram empregados 1.583 militares, cinco navios e uma aeronave na contenção, neutralização e investigação das manchas de óleo. 

Pelo menos 30 navios-tanque de dez países diferentes serão notificados para prestarem esclarecimentos. “A Marinha entrará em contato com as autoridades competentes dos países dessas bandeiras, com a Organização Marítima Internacional e com a Polícia Federal, visando elucidar todos os fatos”.

O Ibama requisitou apoio a Petrobras para a limpeza das praias. A estatal é a responsável por contratar pessoas entre agentes comunitários e cidadãos locais para receberem treinamento e auxiliarem na limpeza dos locais atingidos. Não há, ainda, informações sobre o número de pessoas envolvidas nas ações. 

Viu manchas de óleo no litoral do Nordeste? Mande seu relato para a Folha.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.