Após prisão polêmica de brigadistas, governador manda trocar chefe de investigação

Inquérito tem sido questionado por não apresentar evidências do crime em Alter do Chão, no Pará

Brasília

O governador do Pará, Helder Barbalho (MDB), determinou a troca do delegado que comandava as investigações que levaram à prisão de quatro brigadistas de Alter do Chão, em Santarém. O inquérito é alvo de questionamentos por não conter evidências dos crimes.

"Determinei que houvesse a mudança do presidente do inquérito, e a partir de agora estará presidindo as investigações o delegado Waldir Freire, que é o diretor da polícia especializada em meio ambiente", afirmou o governador, em mensagem gravada em vídeo.

Helder Barbalho, governador do estado do Pará
Helder Barbalho, governador do estado do Pará - Marcos Corrêa/PR
 

Até então, o responsável pelo inquérito era o delegado José Humberto Melo Júnior. Após a prisão, ele afirmou que estava "muito bem configurada" a participação dos brigadistas em incêndios que atingiram a área de proteção ambiental de Alter do Chão, em setembro.

Uma investigação federal sobre as queimadas, entretanto, mostrou que os brigadistas não eram suspeitos. A apuração do Ministério Público Federal (MPF) em Santarém apontava como possíveis responsáveis o assédio de grileiros, a ocupação desordenada da região e a especulação imobiliária.

Barbalho disse manifestar preocupação com o episódio e que a investigação requer toda a transparência necessária.

"Ninguém está acima da lei, mas ao mesmo tempo ninguém pode ser vítima de prejulgamento ou ter o seu direito a defesa cerceado", declarou.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.