Graças a Greta Thunberg, 'greve do clima' é o termo do ano do dicionário Collins

Estudante sueca deu início às greves pelo clima, que se tornaram um movimento mundial

São Paulo

"Greve do clima", ou "climate strike", em inglês, são as palavras do ano de 2019 do dicionário Collins. 

Segundo o dicionário, o termo é uma forma de protesto que começou há pouco mais de um ano com as ações da estudante sueca Greta Thunberg e que se tornou um movimento global. 

O termo foi registrado pela primeira vez em novembro de 2015 quando o primeiro evento denominado assim aconteceu na Conferência do Clima da ONU em Paris. Ao longo do último ano, porém, as greves do clima se espalharam e se tornaram uma realidade frequente em muitas cidades pelo mundo. Os lexicográficos do Collins observaram um aumento de cem vezes no uso do termo em 2019.

Desde 2013, o aumento do uso das palavras foi de quatro vezes. 

Outras palavras de destaque de 2019, segundo o Collins, são: 

  • "influencer": pessoa que promove escolhas de estilo de vida a seus seguidores em redes sociais
  • "cancel": deixar de reconhecer uma pessoa ou organização publicamente, especialmente nas redes sociais, para expressar desaprovação de suas atitudes ou opiniões
  • "deep fake": técnica que sobrepõe uma imagem ou um vídeo digital a outro, mantendo uma aparência sem edição 
  • "rewilding": a prática de devolver terras ao seu estado selvagem, incluindo a reintrodução de espécies de animais que não são mais encontradas naturalmente no local 
  • "não binário": relativo ao gênero ou identidade sexual que não se encaixa nas categorias binárias de masculino, feminino, heterossexual ou homossexual.
  • "bopo": movimento que prega que as pessoas sintam orgulho de seus corpos ou de qualquer aspecto dele, especialmente o tamanho 
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.