Manchas de óleo chegam ao Espírito Santo, afirma Marinha

Pela primeira vez, pequenos fragmentos de óleo foram vistos no Sudeste, em uma praia de São Mateus (ES)

São Paulo

O óleo que já atingiu mais de 400 locais em todos os estados do Nordeste chegou ao Sudeste na quinta-feira (7). A informação foi divulgada pela Marinha em comunicado nesta sexta (8). 

Segundo a nota, foram encontrados e recolhidos pequenos fragmentos de óleo na praia de Guriri, no município de São Mateus, no Espírito Santo.

As amostras do material recolhidas foram enviadas para o IEAPM (Instituto de Estudos do Mar Almirante Paulo Moreira), que confirmou que o óleo é o mesmo encontrado no Nordeste. 

Fragmentos de óleo encontrados na praia de Guriri, no município de São Mateus, no Espírito Santo
Fragmentos de óleo encontrados na praia de Guriri, no município de São Mateus, no Espírito Santo - Divulgação/Marinha

Antes desse anúncio, 409 locais em todos os estados do Nordeste haviam sido afetados pelas manchas de óleo. Pelo menos 95 animais foram encontrados mortos em oito estados.

Na terça-feira (5), o óleo chegou a Mucuri (905 km de Salvador), cidade litorânea mais ao sul da região Nordeste. A praia atingida fica a cerca de 40 km da divisa da Bahia com o Espírito Santo. Na sexta (1º), o Inpe (Instituto de Nacional de Pesquisas Espaciais) informou que era provável que o óleo chegasse ao Espírito Santo e também ao Rio de Janeiro.

No Espírito Santo, um comitê com entes federais, estaduais e municipais foi criado há cerca de 30 dias para instituir um plano para remoção e armazenamento do óleo caso ele chegue ao litoral capixaba. Servidores de prefeituras e voluntários de sete municípios foram capacitados.

De acordo com superintendente do Ibama no Espírito Santo, Diego Libardi,  estão sendo realizadas vistorias nos estuários dos principais rios do litoral para verificar a possibilidade de instalar barreiras de contenção.

“A nossa maior preocupação não são as praias, mas, sim, os estuários dos rios. São locais de onde seria mais difícil retirar o óleo”, afirma Libardi.

A capital Vitória e outras seis cidades do litoral capixaba — Linhares, Aracruz, Conceição da Barra, São Mateus, Jaguaré e Fundão — já recebiam treinamento para a provável chegada do óleo. 

Em Conceição da Barra, cidade de 30 mil habitantes que fica na divisa com a Bahia, a prefeitura iniciou ações diárias de monitoramento dos cerca de 30 quilômetros de litoral e cadastrou e treinou voluntários e servidores municipais, além de ter adquirido equipamentos de proteção individual para proteger as pessoas que forem atuar no recolhimento do material.

O óleo também já atingiu o ecossistema de ao menos 14 unidades de conservação. Na sexta (8), o Parque Nacional de Abrolhos, um dos principais berços de biodiversidade marinha do Atlântico Sul, foi reaberto para visitação.

Abrolhos estava fechado desde o dia 1º, quando as autoridades confirmaram a presença de fragmentos de óleo na praia norte da Ilha de Santa Bárbara, uma das cinco que formam o arquipélago.

O ICMBio (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade) informou que o parque foi reaberto porque não foram encontrados mais fragmentos de no local.

O principal suspeito do derramamento de óleo, segundo a investigação comandada pela PF é o navio Bouboulina, da empresa grega Delta Tankers. A empresa grega nega o ocorrido e afirmou que vai colaborar com as autoridades brasileiras.

Colaborou João Pedro Pitombo, de Salvador

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.