Quase 2.000 novas espécies são incluídas em lista vermelha de ameaça de extinção

Segundo União Internacional para a Conservação da Natureza, tendência é reversível

São Paulo

A União Internacional para a Conservação da Natureza (UICN) incluiu quase duas mil novas espécies ameaçadas de extinção à sua chamada lista vermelha.

Foram adicionadas 1.840 novas espécies. Agora, são ao todo 30.178 ameaçadas de extinção, de acordo com um anúncio realizado durante a Conferência do Clima da ONU, a COP-25, que acontece em Madri, na Espanha.

Panda-vermelho, uma das espécies ameaçadas de extinção - Benoit Tessier - 13.jan.2018/Reuters

"As mudanças climáticas aumentam as múltiplas ameaças que [elas] enfrentam, e devemos agir de maneira rápida e decisiva para enfrentar a crise", afirmou Grethel Aguilar, diretor geral interino da UICN.

A entidade destacou, por exemplo, o impacto da mudança climática nos peixes de água doce da Austrália, dos quais 37% estão ameaçados. Desse percentual, pelo menos 58% são diretamente afetados pelo aquecimento.

"A atualização [da lista vermelha] mostra que o impacto das atividades humanas na vida selvagem continua a crescer", acrescentou Jane Smart, chefe do grupo de conservação da biodiversidade da entidade.

No entanto, o órgão destacou que essa tendência é reversível, enfatizando que a situação de dez espécies —oito aves e dois peixes de água doce— melhorou

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.