Na Austrália, casal cuida de filhotes de cangurus que ficaram órfãos após incêndios

Fogo no país matou 33 pessoas e cerca de 1 bilhão de animais desde setembro

Jorge Silva
WYTALIBA (Austrália) | Reuters

Enquanto um incêndio florestal arrasava a comunidade rural de Wytaliba, na Austrália, Gary Wilson e Julie Willis decidiram não abandonar sua casa de madeira –ela estava cheia de bebês cangurus órfãos que eles queriam proteger.

Mais de uma dúzia de animais estava aninhada em bolsas de tecido penduradas na sala de estar. Cangurus adultos e outros animais silvestres que não recebiam cuidados há muito tempo também foram à casa em busca de refúgio quando as chamas chegaram perto.

Dois cangurus bebês tomam leite de mamadeira
Julie Willis alimenta cangurus órfãos em abrigo na Austrália - Jorge Silva/Reuters

"Tínhamos animais demais dentro da casa e ao redor dela, então realmente não podíamos ir embora. Decidimos ficar e lutar", disse Wilson na residência do casal, que não tem eletricidade e hoje está cercada por terra arrasada e veículos carbonizados.

"Às 15h era um lindo dia de verão, e às 16h parecia meia-noite", contou Wilson. "Não dava para ver mais que 20 metros à frente, então a tempestade de fogo se aproximou e queimou praticamente tudo."

O casal defendeu a casa durante pelo menos 14 horas com extintores, bombas de água e um sistema de borrifador no telhado, que apagava as brasas que caíam do céu.

Boa preparação e uma boa dose de sorte fizeram com que a estrutura continuasse de pé –e com que os filhotes sobrevivessem. O incêndio de 8 de novembro que varreu a comunidade de Wytaliba matou dois vizinhos.

Willis disse que nunca tinha visto um fogo tão intenso, e que a maioria dos animais, como gambás, pequenos roedores, lagartos e até muitas aves, não foi rápida o suficiente para escapar das chamas.

"É só depois que você percebe como esteve perto de morrer, mas na hora você está ocupada demais tentando apagar", disse ela. A temporada prolongada de incêndios florestais no país matou 33 pessoas e cerca de 1 bilhão de animais desde setembro.

O número de hóspedes na casa em Wytaliba, que há 25 anos funciona como um santuário da vida silvestre, aumenta à medida que as consequências do incêndio continuam a aparecer, como queimaduras, falta de alimento e água poluída.

O casal normalmente cuida de bebês cangurus resgatados depois que suas mães são atropeladas por veículos, mas agora estão abrigando um número cada vez maior de órfãos do incêndio.

Segundo Willis, os filhotes, que recebem leite especialmente preparado a cada duas a quatro horas, serão soltos futuramente na natureza. "Nós não tivemos filhos, é com isto que ocupamos nosso tempo."

Tradução de Luiz Roberto Mendes Gonçalves

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.