Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
29/10/2010 - 11h18

Morre Liang Congjie, primeiro ativista ambiental da China

Publicidade

DA EFE

O veterano ecologista chinês, Liang Congjie, fundador da ONG Friends of Nature (Amigos da Natureza), primeira organização ambientalista da China, faleceu aos 78 anos em consequência de uma infecção pulmonar, informou nesta sexta-feira a instituição criada por ele através do site oficial.

Liang, agraciado em 2000 com o prêmio Ramón Magsaysay (o chamado "Nobel asiático", outorgado pela fundação filipina homônima), lutou na década de 1990 quase sozinho pelos direitos ambientalistas na China, já que sua organização era a única dedicada à proteção da natureza no país.

Em uma China em desenvolvimento, na qual não se prestava atenção aos problemas ambientais e ainda não havia a presença de organizações internacionais, Liang foi um dos primeiros a denunciar, entre outras coisas, o desaparecimento de espécies animais e o desmatamento.

Com a ONG, fundada em 1994, Liang também foi um dos primeiros a criticar a deterioração do meio ambiente que seria causada pela obra da represa de Três Gargantas --iniciada em 1993 e que esta semana funcionou pela primeira vez com toda sua capacidade.

Liang criticou Pequim em 2001 por pintar áreas da cidade de verde para disfarçar a falta de plantas, quando o Comitê Olímpico Internacional inspecionou a cidade para avaliar a candidatura aos Jogos Olímpicos de 2008, que acabou sendo realizado no local.

O ativista era neto de Liang Qichao, que tentou introduzir reformas durante a dinastia Qing (abolida em 1911), e filho de dois dos principais pensadores chineses do início do século 20, Liang Sicheng e Lin Huiyin, apelidados de os "pais da arquitetura chinesa".

Atualmente, Liang fazia parte da Conferência Consultiva Política do Povo Chinês, o principal órgão assessor do governo comunista.

Foi na organização Friends of Nature que o conhecido dissidente chinês, Hu Jia, iniciou seu ativismo. Atualmente, ele se encontra preso e foi agraciado em 2008 com o Prêmio Sakharov do Parlamento Europeu pela luta a favor dos direitos humanos na China.

A família de Liang assinalou em comunicado que organizará um funeral simples --"de acordo com a vida que ele levava"-- e agradeceu as demonstrações de apoio recebidas.

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página