Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
03/11/2010 - 12h02

Grupo pede atenção para golfinhos "esquecidos"

Publicidade

MARÍLIA ROCHA
COLABORAÇÃO PARA A FOLHA

Cerca de 50 cientistas elaboraram, na semana passada, um plano de ação para salvar as toninhas. Essa espécie de golfinho (Pontoporia blainvillei), prima pobre e desconhecida dos golfinhos-rotadores, que vivem em Fernando de Noronha e são mais famosos no Brasil, corre risco de extinção.

As toninhas vivem desde a costa do Espírito Santo até a Argentina. Por isso, os pesquisadores reunidos eram de vários países da América do Sul e mesmo do exterior. Eles estiveram reunidos em Florianópolis para uma elaboração de diretrizes.

Golfinho famoso ofusca primos em risco no Brasil
Diretor de "The Cove" considera "tragédia" pesca de golfinhos no Brasil

Um dos objetivos centrais é reeducar pescadores para evitar que muitas toninhas fiquem presas nas suas redes --a "pesca" involuntária de toninhas é a grande vilã da espécie, hoje classificada como "vulnerável" nas listas de espécies ameaçadas.

Boa parte do desconhecimento da espécie tem a ver com a sua maneira de viver.

Ao contrário de outras espécies de golfinhos (como os próprios rotadores), a toninha não costuma ser facilmente observada na natureza, e não rende boas fotos.

Diante da falta de atenção, calcula-se que, entre 1996 e 2004, a população de toninhas tenha caído pela metade. Existem hoje cerca de 40 mil indivíduos da espécie.

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página