Siga a folha

Editado por Camila Mattoso, espaço traz notícias e bastidores da política. Com Fabio Serapião e Guilherme Seto.

Documento do Ministério Público classifica candidato em São Luís como investigado

Eduardo Braide (Podemos), líder nas pesquisas, disse em debate que nunca foi alvo de inquéritos; mas manifestação do MPF de 2019 o classifica como investigado

Continue lendo com acesso ilimitado.
Aproveite esta oferta especial:

BLACK NOVEMBER

3 meses grátis

+ 9 de R$ 19,90 R$ 9,90

ASSINE A FOLHA

Cancele quando quiser

Notícias no momento em que acontecem, newsletters exclusivas e mais de 120 colunistas.
Apoie o jornalismo profissional.

Recentes declarações do candidato a prefeito em São Luís (MA) Eduardo Braide (Podemos), líder das pesquisas, têm causado polêmica. Ele disse em debate na TV que não é e nunca foi alvo de inquéritos. Uma manifestação do Ministério Público Federal, de outubro do ano passado, o classifica, no entanto, como investigado.

Eduardo Braide durante campanha eleitoral de 2016, em São Luís - Divulgação

O procurador Ronaldo Meira de Vasconcellos Albo faz a menção ao se posicionar sobre qual instância deveria cuidar do caso, que apura desvios em licitações. No documento, Albo afirma que foram identificadas movimentações atípicas pelo Coaf entre 2011 e 2014, quando Braide era deputado estadual.

A assessoria de Eduardo Braide enviou duas notas ao Painel, negando que o candidato seja investigado e disse que foi solicitada à Polícia Federal uma certidão para demonstrar que não há investigação contra ele. Enviou documentos de 2016 e 2017 para dizer que ele não é alvo de inquérito. Sobre o documento de 2019 do Ministério Público, no entanto, a assessoria informou desconhecer a manifestação.

Receba notícias da Folha

Cadastre-se e escolha quais newsletters gostaria de receber

Ativar newsletters

Relacionadas