Siga a folha

Editado por Fábio Zanini, espaço traz notícias e bastidores da política. Com Guilherme Seto e Fabio Serapião.

Gleisi diz que conduta de Marília Arraes rompe política interna do PT

Atuação de deputada, que concorreu sem o apoio da bancada, será analisado nas instâncias partidárias, afirmou presidente da sigla

Continue lendo com acesso ilimitado.
Aproveite esta oferta especial:

1 ANO DE DESCONTO

3 meses por R$1,90

+ 9 de R$ 19,90 R$ 9,90

ASSINE A FOLHA

Cancele quando quiser

Notícias no momento em que acontecem, newsletters exclusivas e mais de 120 colunistas.
Apoie o jornalismo profissional.

A eleição de Marília Arraes (PT-PE) para um cargo na Mesa Diretora da Câmara dos Deputados foi alvo de críticas dentro do seu partido.

Ela se lançou de maneira independente (sem a bênção da sigla) ao comando da segunda secretaria. O PT preferia o nome de José Daniel (PT-SE). Mas graças ao apoio do grupo de Arthur Lira (PP-AL) ela saiu vencedora.

A presidente Gleisi Hoffmann (PT-PR) disse ao Painel que a conduta afronta a política interna do partido.

“A atitude da deputada Marília rompe procedimento estatutário do PT e isso terá de ser analisado nas instâncias partidárias”, afirmou.

A eleição nem havia sido concluída, na tarde desta quarta (3), e as queixas dentro do PT já se avolumavam, com deputados dizendo que ela "queimou o filme".

Outros culparam a administração da Câmara, que colocou o nome dela em cima, na cédula de votação, o que pode ter levado parlamentares à confusão, acreditando que ela seria indicação oficial do partido.

Marília Arraes (PT), neta do ex-governador Miguel Arraes (PSB) - Divulgacao

Receba notícias da Folha

Cadastre-se e escolha quais newsletters gostaria de receber

Ativar newsletters

Relacionadas