Siga a folha

Descrição de chapéu Livros

Ecio Salles, um dos criadores da Flup, morre aos 50 anos

Festival literário criado em 2012 leva saraus, oficinas e debates para a periferia

Você atingiu seu limite de matérias livres

Assine e tenha acesso Ilimitado

– OFERTA ESPECIAL – 1 ANO DE DESCONTO –

Cancele quando quiser

R$ 1,90 POR 3 MESES

+ 9 de R$ 19,90 R$ 9,90

Notícias no momento em que acontecem, newsletters exclusivas e mais de 120 colunistas. Apoie o jornalismo profissional.

São Paulo

O escritor e produtor cultural Ecio Salles morreu nesta segunda-feira (22), aos 50 anos, em decorrência de um câncer.

Nascido no subúrbio do Rio de Janeiro, Salles teve sua trajetória ligada às periferias e, ao lado do jornalista Julio Ludemir, criou a Flup (Festa Literária das Periferias).

“Queríamos criar um ambiente para a literatura, com diversidade de ações e com um público diferenciado", disse em entrevista à Folha em 2012, na primeira edição do evento.

Inicialmente chamado de Festa Literária das UPPs, em alusão às favelas com Unidades de Polícia Pacificadora, o evento promove oficinas literárias, saraus e debates nas comunidades.

A Flup ajudou a revelar jovens escritores da periferia, como Geovani Martins, autor de "O Sol na Cabeça".

Ele também foi coordenador da Escola Popular de Comunicação Crítica, criada pela ensaísta Heloisa Buarque de Hollanda e pelo antropólogo Luiz Eduardo Soares, coautor de "Elite da Tropa".

Ecio Salles, diretor da Flup, na abertura oficial da Flip, em foto de 2012 - Zanone Fraissat/Folhapress

Receba notícias da Folha

Cadastre-se e escolha quais newsletters gostaria de receber

Ativar newsletters

Relacionadas