Siga a folha

Jipinhos turbo dominam provas de desempenho

Peugeot 2008 THP e Honda HR-V Touring foram os mais rápidos no teste Folha-Mauá

Você atingiu seu limite de matérias livres

Assine e tenha acesso Ilimitado

– OFERTA ESPECIAL – 1 ANO DE DESCONTO –

Cancele quando quiser

R$ 1,90 POR 3 MESES

+ 9 de R$ 19,90 R$ 9,90

Notícias no momento em que acontecem, newsletters exclusivas e mais de 120 colunistas. Apoie o jornalismo profissional.

São Paulo

A lista com os 20 carros de passeio mais emplacados entre janeiro e abril tem 8 utilitários esportivos compactos. É o segmento que mais cresce no mercado nacional, de acordo com dados da Fenabrave (entidade que representa os distribuidores de veículos).

Entre os jipinhos que passaram pelo ciclo atual do teste Folha-Mauá, modelos turbinados e equipados com câmbio automático se destacaram.

O mais rápido foi o Peugeot 2008 THP (R$ 120 mil), que já é um veterano no mercado brasileiro. A geração atual chegou às lojas em 2015 e passou por remodelação em 2020, quando a versão 1.6 turbo flex (173 cv de potência) com câmbio automático foi lançada.

Produzido em Porto Real (RJ), o carro de origem francesa acelerou do zero aos 100 km/h em 8,1 segundos quando abastecido com etanol.

O Peugeot também superou os rivais nas provas de retomada tanto com álcool como com gasolina no tanque, mas teve o concorrente Honda HR-V Touring (R$ 159 mil) sempre por perto.

Com motor 1.5 turbo que oferece os mesmos 173 cv do 2008 THP, o jipinho de origem japonesa só pode ser abastecido com gasolina. O modelo foi o melhor na prova de aceleração com esse combustível, registrando os mesmos 8,1 segundos do 2008 com etanol.

Líder de vendas no segmento em abril, o Chevrolet Tracker se destacou na prova de consumo urbano com gasolina. A versão que obteve o melhor resultado é equipada com motor 1.2 turbo flex (133 cv) e custa a partir de R$131,3 mil.

Único modelo sem turbo entre os primeiros colocados, o Renault Duster 1.6 CVT (120 cv), que custa a partir de R$ 93,7 mil, foi o mais econômico com álcool tanto na estrada como na cidade.

Saiba como são feitos os testes

Para aferir o desempenho dos carros, o IMT (Instituto Mauá de Tecnologia) utiliza o V-Box, equipamento que usa sinal de GPS.

Os testes de aceleração, retomada e frenagem são feitos na pista da empresa ZF, em Limeira (interior de São Paulo).

A etapa que verifica o gasto de combustível na cidade tem 27 km. Para simular um percurso rodoviário com velocidade média de 90 km/h, os engenheiros do IMT dirigem por 31 km. Ambos os trajetos ficam em São Caetano do Sul (ABC), onde fica a sede do instituto.

Se o carro for flex, são feitas duas medições: uma com gasolina, outra com etanol.

Receba notícias da Folha

Cadastre-se e escolha quais newsletters gostaria de receber

Ativar newsletters

Relacionadas