Descrição de chapéu Governo Bolsonaro

Eduardo Bolsonaro afirma que imigrantes brasileiros ilegais são vergonha

Filho do presidente diz que EUA exigem visto para evitar que brasileiro entre ilegalmente

Conteúdo restrito a assinantes e cadastrados Você atingiu o limite de
por mês.

Tenha acesso ilimitado: Assine ou Já é assinante? Faça login

Marina Dias Patrícia Campos Mello
Washington

O deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) disse neste sábado (16) em Washington que a liberação de visto para a entrada nos Estados Unidos pode virar uma brecha para que brasileiros morem ilegalmente no país governado por Donald Trump.

“Será que estou falando um grande absurdo ao dizer que, sem a necessidade de visto, várias pessoas entrariam nos EUA de maneira ilegal e ilegalmente permaneceriam lá? Acredito que não”, afirmou o filho do presidente Jair Bolsonaro, que assumiu o comando da Comissão de Relações Exteriores da Câmara na semana passada.

Eduardo com o boné que reproduz o slogan do Trump na versão tupiniquim na exibição do filme sobre Olavo de Carvalho - Marina Dias/Folhapress

“A pergunta que faço é a seguinte: quantos americanos vão vir morar ilegalmente no Brasil com essa brecha? Agora vamos fazer a pergunta contrária: e se os EUA permitirem que o brasileiro entre lá sem visto? Quantos brasileiros vão se passar por turista para vir morar ilegalmente aqui?”, completou.

O deputado comentava o fato de o governo brasileiro isentar EUA, Japão, Austrália e Canadá de visto para entrada no país sem a contrapartida americana, por exemplo, para liberar a entrada dos brasileiros.

“Nós, brasileiros, é que vamos ser espertos e vamos pegar os dólares dos turistas americanos, japoneses, australianos e canadenses”, disse Eduardo Bolsonaro.

O filho do presidente afirmou ainda que os brasileiros que vivem ilegalmente no exterior são uma preocupação do governo porque são “uma vergonha” para o país.

“O brasileiro que vem pra cá [EUA] de maneira regular é bem-vindo. Brasileiro ilegalmente fora do país é problema do Brasil, é vergonha nossa”, declarou.

Eduardo chegou na véspera do desembarque do pai na capital americana e participou da exibição de um filme sobre a obra de Olavo de Carvalho, considerado guru ideológico do governo Bolsonaro.

Steve Bannon cumprimentando Olavo em sala após exibição de filme; Eduardo Bolsonaro no fundo - Patrícia Campos Mello/Folhapress

Depois do evento, realizado no Trump International Hotel, o deputado conversou com jornalistas e afirmou que espera um encontro produtivo entre Bolsonaro e o presidente americano.

A isenção de visto para cidadãos dos EUA entrarem no Brasil é um dos anúncios da visita, mas sem contrapartida americana.

Eduardo colocou um boné —que ganhou de um dos apoiadores de seu pai nos EUA— com a reedição do slogan de Trump, adaptado para o Brasil. “Make Brasil great again”

Relacionadas