Siga a folha

Descrição de chapéu Eleições EUA 2020

Trump compartilha duas vezes vídeo falso de Biden ouvindo 'Fuck da Police'

Música do grupo N.W.A usa palavrões para condenar conduta de policiais racistas

Nossas colunas são exclusivas para assinantes. Continue lendo com acesso ilimitado. Aproveite!

3 meses por R$1,90

+ 3 de R$ 19,90 R$ 9,90

Tenha acesso ilimitado:

Assine

Cancele quando quiser

Já é assinante?

Faça login
Belo Horizonte

O presidente americano, Donald Trump, compartilhou duas vezes nesta quarta-feira (16) um vídeo manipulado que mostra seu adversário na eleição presidencial, o democrata Joe Biden, ouvindo a música "Fuck da Police" (foda-se a polícia), que usa palavrões para condenar as ações policiais contra os negros.

O Twitter não removeu as publicações, que ainda podem ser vistas no perfil oficial do republicano. A rede social, que tem sido mais ativa do que seus concorrentes na moderação de conteúdo enganoso, limitou-se a incluir um rótulo com a expressão "mídia manipulada", que direciona os usuários a uma página com o vídeo original e a informação de que o áudio foi alterado.

"Fuck da Police" (1988), do grupo de rap N.W.A (sigla para "pretos com atitude", em inglês), descreve abordagens policiais a homens negros e critica a conduta dos policiais, acusados de agir de forma racista.

"Foda-se a polícia, diretamente do submundo / O jovem negro está na pior porque somos marrons / E não de outra cor, então a polícia acha / Que tem o poder de matar uma minoria", diz o trecho da música usado no vídeo falso.

A campanha de Trump tem explorado a narrativa de que Biden é a favor de cortar as verbas da polícia –uma demanda dos manifestantes antirracismo que tomaram as ruas dos EUA nos últimos meses– e contra os agentes de segurança em geral.

O republicano, que tem reforçado seu discurso de lei e ordem, também argumenta que Biden defende o uso da violência pelos manifestantes –os atos têm causado prejuízos em várias cidades americanas.

O democrata nega as acusações e afirma que sua proposta de reforma do sistema criminal não inclui a redução dos valores destinados à polícia. Ele já condenou atos violentos ocorridos durante os protestos em outras ocasiões.

As imagens usadas foram registradas durante um evento em comemoração ao Mês da Herança Hispânica, na Flórida. Na ocasião, Biden, após ser apresentado e convidado pelo cantor Luis Fonsi a discursar, usa seu celular para tocar o hit do artista, "Despacito".

Joe Biden discursa durante evento que comemora o Mês da Herança Hispânica, em Kissimmee, na Flórida - Jim Watson - 15.set.20/AFP

"Só tenho uma coisa a dizer", afirma ele antes de reproduzir a música. Após pausá-la, Biden acrescenta, brincando: "Se eu tivesse o talento de qualquer uma dessas pessoas, seria eleito presidente por aclamação".

Uma porta-voz do Twitter disse que o vídeo, que obteve mais de 2,8 milhões de visualizações, foi rotulado com base na política da rede social que define regras para mídias manipuladas.

O tuíte original foi publicado pela conta United Spot, que se autodenomina uma produtora de vídeos satíricos. O Twitter já havia colocado alertas em publicações feitas por Trump no passado, incluindo mensagens com informações falsas sobre o voto por correio.

O diretor digital da campanha de Biden, Rob Flaherty, descreveu a reação do Twitter como insuficiente. "Este é o segundo tuíte de Trump sobre este vídeo falso. O único aviso que você recebe é esse rótulo pequenininho na parte inferior de que é 'mídia manipulada'. Mal dá para ver."

A campanha de Trump não respondeu aos pedidos de comentários da agência de notícias Reuters.

Com Reuters.

Receba notícias da Folha

Cadastre-se e escolha quais newsletters gostaria de receber

Ativar newsletters

Relacionadas