Luiz Carlos Ferreira
São Paulo

A atuação de técnicos e jogadores sempre geraram discussões calorosas entre torcedores, o que é comum quando a temática é o futebol, o esporte mais popular do país.

E, em se tratando de Copa do Mundo, evento que atrai também desinteressados e desentendidos no assunto, as discordâncias tendem a ser mais amenas, mas podem acabar em tragédia.

Foi o que aconteceu em 6 de junho de 1974, no município de Duque de Caxias (região metropolitana do Rio), quando um homem tirou a vida de seu melhor amigo com uma facada no coração, conforme informou o Notícias Populares.

A Copa do Mundo daquele ano foi disputada na antiga Alemanha Ocidental, cuja seleção anfitriã sagrou-se bicampeã do torneio. O certame ainda nem havia começado —faltava pouco menos de uma semana para a estreia do Brasil, em 13 de junho, quando jogaria contra a Iugoslávia.

Os cortes do volante Clodoaldo —tricampeão de 70 no México—, por causa de uma distensão muscular dez dias antes da estreia da seleção, e do goleiro Wendell Ramalho, que teve uma lesão no joelho esquerdo durante um amistoso contra o Racing Strasbourg, na França, colocaram em xeque a atuação da equipe, uma vez que Clodoaldo era tido como um dos principais nomes do time.

As táticas adotadas pelo então treinador Mario Jorge Lobo Zagallo —bicampeão como jogador nas Copas de 58 (Suécia) e 62 (Chile) e como treinador em 1970 (México)—,  também era assunto na boca de milhões de brasileiros. E dentre esse montante de torcedores críticos estavam os amigos Manuel de Oliveira Filho, 36, e Severino Santos Silva, 42, moradores do bairro de Saracuruna, em Duque de Caxias, no Estado do Rio.

Capa do "Notícias Populares" de 8 de junho de 1974 destaca briga entre amigos que resultou em morte
Capa do "Notícias Populares" de 8 de junho de 1974 destaca briga entre amigos que resultou em morte - Folhapress

Parceiros de longa data, Manuel e Severino bebiam e batiam papo quase todos os dias. Até passeavam juntos nos fins semana. Raramente eram vistos separados. Ambos trabalhavam vendendo passarinho numa feira da região.

Certo dia, como de costume, pararam para beber num bar na avenida José Fichiman, no mesmo bairro. No local, várias pessoas comentavam sobre as últimas partidas do Brasil antes da Copa. Falavam dos jogadores contundidos, dos métodos de jogo de Zagallo, entre outras queixas e virtudes do time brasileiro.

Manuel e Severino, então, resolveram entrar na conversa. Um começou a dizer que o problema da seleção era o ataque, o outro colocava a culpa na defesa. Severino alfinetava Zagallo a todo tempo afirmando que o técnico não entendia nada de futebol. Manuel dizia que o clima frio da Alemanha poderia prejudicar o rendimento dos brasileiros durante a Copa.

A discussão, porém, começou a ficar violenta depois que Manuel passou a defender Zagallo, que continuava sendo criticado duramente pelo amigo. Logo, sem que ninguém percebesse, ambos entraram em luta corporal iniciada após Severino ter dado um “bofetão” no colega. 

Conforme o NP noticiou, poucas pessoas tentaram apartar a briga. Mas o que não se esperava é que, em meio ao tumulto, uma pequena faca caísse nas mãos de Manuel, que, em desvantagem, aproveitou a oportunidade e furou Severino no peito, acertando-o em cheio no coração.

Apavorado com o que fizera, Manuel fugiu do local aos prantos, dizendo que não tinha a intenção de tirar a vida do amigo. Ele foi preso horas depois do crime. Na delegacia, chorando muito, dizia a todo momento estar arrependido pela tragédia.

CAMPANHA DO BRASIL NA COPA DE 74

Com desempenho abaixo do esperado na primeira fase do torneio, o Brasil empatou em 0 a 0 nos dois primeiros jogos quando enfrentou a Iugoslávia e a Escócia. Na terceira partida, contra o Zaire, conseguiu vencer pelo placar de 3 a 0, com gols de Jairzinho, Rivellino e Valdomiro.

Na segunda fase do Mundial, a seleção conseguiu uma vitória magra de 1 a 0 sobre a invicta Alemanha Oriental, com gol de Rivellino, após uma falta cometida contra o atacante Jairzinho aos 15 minutos da segunda etapa de jogo.

O duelo seguinte foi contra a Argentina, quando o Brasil saiu mais uma vez triunfante com gols de Jairzinho e Rivellino, fechando o placar em 2 a 1. O gol argentino, o primeiro sofrido pelo goleiro Leão na Copa, foi do meia Brindisi, feito no primeiro tempo de partida.

Em busca da vaga na final do campeonato, no jogo contra a Holanda, o Brasil perdeu três grandes chances de gols no primeiro tempo. O desempenho aquém do esperado custou caro e o time foi derrotado por 2 a 0 pelos holandeses.

Sem oportunidades de ir para a final, os brasileiros disputaram o terceiro lugar contra a Polônia, mas não foram eficazes e tiveram que se contentar com a quarta colocação ao perderem de 1 a 0 com gol de Lato, feito de dentro da área brasileira, aos 31 minutos do primeiro tempo.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.