Descrição de chapéu Há 50 anos

1970: Jornal egípcio afirma que 5.000 morreram na guerra na Jordânia

São Paulo

Em três dias de guerra na Jordânia, mais de 5.000 pessoas, a maioria civis, morreram, segundo informou o jornal oficial egípcio Al-Ahram.

As forças militares fiéis ao rei Hussein, da Jordânia, e os guerrilheiros palestinos lutam em várias cidades. O presidente do Egito, Gamal Abdel Nasser, pediu o cessar-fogo temporário para iniciar uma negociação, porém os guerrilheiros rejeitaram a sua mediação.

Com a recusa, o comandante do Exército jordaniano, Habis Majali, deu um ultimato para que os palestinos se rendessem sob ameaça de fuzilamento sumário.

O ultimato expirou, e os combates continuam.

Primeira Página da Folha de 20 de setembro de 1970
Primeira Página da Folha de 20 de setembro de 1970 - Reprodução

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.