Brasília Hoje

Bastidores, vídeos e análises de economia e política. De segunda a sexta-feira.

Brasília Hoje -
Descrição de chapéu Folhajus STF violência

Moraes diz que ter comandado pasta da Justiça não impede ministro de julgar casos ligados à PF; veja vídeo

Declaração foi dada em sessão do caso Marielle, em resposta às defesas dos acusados que pediram a suspeição de Dino

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Brasília

O ministro Alexandre de Moraes afirmou, nesta terça-feira (18), que ter sido ministro da Justiça antes de assumir cargo no STF (Supremo Tribunal Federal) não é impedimento para julgar casos penais. A declaração foi dada no início do voto dele no caso Marielle Franco.

As defesas dos acusados pediram a declaração de suspeição de Flávio Dino, já que ele foi o titular da pasta no período do reinício da investigação pela PF, que foi negada pelo relator.

Acompanhe tudo que acontece em BRASÍLIA nesta terça (18)

"Nós teríamos até dificuldade porque hoje, no plenário do STF, nós temos três ex-ministros da Justiça e Segurança Pública. Eu mesmo, André Mendonça e André Mendonça. E pelo fato de terem sido ministros ficariam impedidos de julgar causas penais ligadas à Polícia Federal", disse.

Ele lembrou que houve um questionamento semelhante em um habeas corpus sobre uma chacina ocorrida em São Paulo. Na ocasião, em que um dos réus foi presos ele era secretário de Segurança Pública.

Moraes afirmou que o ministro de Estado ou secretário de Segurança não tem ingerência na autonomia funcional dos delegados que exercem o poder de investigação.

Pedro Ladeira - 18.jun.2024/Folhapress
Sessão do 1ª turma do STF destinada a julgar a denúncia contra os acusados de serem os mandantes da morte da vereadora Marielle Franco. Alexandre de Moraes é o relator do caso - Pedro Ladeira/Folhapress

LINK PRESENTE: Gostou deste texto? Assinante pode liberar sete acessos gratuitos de qualquer link por dia. Basta clicar no F azul abaixo.

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.