Em referência ao número pi, 14 de março será o Dia da Matemática

Unesco escolheu a data para que o mundo lembre da importância da área

São Paulo

Dia 14 de março (ou 3/14, no padrão americano) já é conhecido como o Dia do Pi (π) constante matemática  que começa com 3,14159265359... e tem outros infinitos dígitos na sequência. O número π aparece, por exemplo, quando o perímetro de uma circunferência é dividido por seu diâmetro.

Nesta terça (26), essa mesma data foi escolhida pela Unesco para ser o Dia Internacional da Matemática.

"A data servirá para valorizar essa área do conhecimento que é central na civilização, por sua linguagem, sua universalidade, suas aplicações e por estar na linha de frente do pensamento abstrato do ser humano", afirma Eduardo Colli, professor de matemática da USP e membro do comitê internacional do Dia Internacional da Matemática.

Ele diz que a ideia é que escolas, universidades e outras instituições aproveitem a ocasião para criar eventos e atividades que mostrem a importância da matemática para os estudantes e para a sociedade.

Foi criado um site (idm314.org) onde matemáticos de todo o mundo podem cadastrar atividades abertas ao público. O Brasil já tem um evento marcado: a exposição Matemateca, de responsabilidade de Colli, deverá ficar aberta ao público em todo o mês de março, no Centro Universitário Maria Antonia, na região central de São Paulo.

Entre as peças da coleção estão um jogo da velha tridimensional, obras que representam superfícies estranhas, disputas com dados não convencionais, experimentos estatísticos, labirintos e outras —todas com uma boa dose de matemática por trás.

"A matemática vem sendo estudada ao longo da história da humanidade. Hoje, a matemática tornou-se uma ferramenta tão sofisticada que as pessoas nem se dão conta de sua onipresença em nossas vidas. Nós podemos dizer que a 'matemática está em tudo', que é o tema do primeiro Dia Internacional da Matemática, em 2020", diz em comunicado Christiane Rousseau, da Universidade de Montreal, que encabeça a iniciativa.

A matemática, em seu nível mais fundamental, está por trás de nosso conhecimento sobre as leis que regem o Universo, de acordo com documento que embasou a decisão da Unesco. "Ela também é um determinante de avanço tecnológico na nossa sociedade. As aplicações da matemática revolucionaram a sociedade por meio da tecnologia da informação, da internet, e tecnologias baseadas em poderosos algorítmos computacionais", diz o texto

Outra meta é que nesse dia haja especial atenção às contribuições de mulheres para a matemática, como as de Hipátia de Alexandria (c. 355-415), Mary Winston Jackson (1921-2005) e Maryam Mirzakhani (1977-2017), estimulando que mais meninas sigam neste caminho. As mulheres ainda são minoria nas ciências exatas.

Hipátia, reconhecida como a primeira matemática, atuou em áreas como astronomia e geometria. Jackson atuou como computadora na Nasa durante a Guerra Fria e seus cálculos ajudaram o homem a pisar na Lua. 

Mirzakhani foi a primeira e única mulher a receber a Medalha Fields, maior prêmio do meio matemático, em 2014. Naquele mesmo ano o brasileiro Artur Avila recebeu a honraria, feito inédito para um latino-americano.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.