Teste avalia lados sombrio e luminoso da personalidade

Americanos propõem existência de duas tríades que classificam as pessoas

São Carlos

As pesquisas sobre o lado sombrio da personalidade humana explodiram nos últimos anos, mas os especialistas ainda não tinham dado atenção parecida aos aspectos mais animadores da psiquê. Para sanar essa lacuna, psicólogos dos EUA estão propondo a existência da chamada tríade luminosa: um conjunto de características que ajudaria a detectar pessoas decentes, ou “santos do cotidiano”, como eles dizem.

O resultado do esforço do grupo está em artigo na revista científica Frontiers in Psychology. A equipe liderada por Scott Barry Kaufman, da Universidade da Pensilvânia, submeteu mais de 1.500 voluntários recrutados pela internet a uma bateria de dezenas de questionários de personalidade para chegar às suas conclusões.

Isso permitiu que eles desenvolvessem um teste online simplificado (por enquanto, apenas em inglês) para os interessados em saber até que ponto estão alinhados com a tal tríade. (Previsivelmente, a imagem de dois sujeitos com sabres de luz ilustra o site, em alusão aos dois lados da Força de “Star Wars”.) “Temos esperança de que nossa pesquisa traga equilíbrio para a Força nos estudos sobre psicologia da personalidade”, brinca Kaufman.

Ele conta que o trabalho começou após uma conversa informal com seu colega David Yaden sobre o fascínio exercido pelas personalidades ligadas à chamada tríade sombria. 

Esse conjunto de características pessoais é marcado pela presença de narcisismo, maquiavelismo (manipulação estratégica de outras pessoas) e psicopatia (incapacidade de se identificar com os sentimentos dos demais).

Yaden respondeu que não conhecia a tal tríade sombria, mas disse que o conceito parecia fascinante e pediu que o colega lhe mandasse estudos sobre o tema. Kaufman enviou os artigos científicos para o email dele e de outra colega, Elizabeth Hyde (que também assina o novo estudo). Yaden respondeu dizendo apenas: “tríade luminosa?”. “Fiquei de orelha em pé”, escreveu Kaufman em seu blog. “Será que existe esse negócio? Alguém já estudou isso?”

As pesquisas dos últimos anos mostraram que há uma sobreposição considerável entre os elementos da tríade sombria: eles estão associados e podem ser vistos como um único “núcleo sombrio” da personalidade. Além disso, costumam se manifestar num contínuo de variabilidade, ou seja, quase todo mundo parece marcar ao menos alguns pontos nessa tríade quando avaliado por um psicólogo.

Cena de 'Star Wars: A Ascensão Skywalker'
Cena de 'Star Wars: A Ascensão Skywalker'; No universo ‘Star Wars’, há alinhamento de personagens aos lados negro e luminoso da Força, entidade que rege a natureza - Divulgação

Mais ou menos a mesma coisa se dá com a tríade luminosa —e com uma boa notícia extra: ela costuma aparecer com intensidade maior do que o “lado sombrio da Força” na maioria das pessoas. Os pesquisadores criaram um índice que subtrai a “pontuação” sombria das pessoas de seus “pontos luminosos”, e é muito raro que alguém fique com pontuação negativa. É claro que os resultados vêm de autodeclaração, mas o que já se sabia sobre a tríade sombria também vinha desse método, o que evita a existência de algum viés especificamente “bonzinho” nas respostas.

A trinca que define o “lado bom da Força” é formada, segundo os pesquisadores, por humanismo (valorização da dignidade de todos os indivíduos), fé na humanidade (crença de que, no fundo, as pessoas são boas) e kantianismo (tratar os outros como fins em si mesmos, e não como simples meios para atingir um objetivo). O último item homenageia o filósofo alemão Immanuel Kant (1724-1804), cujas obras formulam justamente o princípio presente nesse traço de caráter.

As duas tríades não são exatamente a imagem especular uma da outra, ou seja, não se chega a uma delas simplesmente invertendo a outra. E, embora haja uma correlação negativa entre as tríades  —apresentar características de uma diminui a probabilidade de ter as da outra—, o efeito é considerado moderado, o que significa que normalmente “luz” e “trevas” convivem dentro das pessoas.

Mesmo assim, é possível identificar variáveis demográficas nos dois lados da Força. Gente que pontua bastante na tríade sombria tende a ser mais jovem, a se identificar como homem e a mostrar ambição. Também tendem a ser pessoas mais assertivas e extrovertidas.

Já os que alcançam pontuação elevada na tríade luminosa tendem a ser mais velhos, a se identificar como mulheres e a reportar níveis mais altos de religiosidade e/ou espiritualidade. É importante lembrar que tudo isso são associações puramente estatísticas, que valem para o total da amostragem estudada pelos psicólogos e não descrevem indivíduos reais.

Outra notícia auspiciosa é que, aparentemente, ser bom faz bem: as pessoas com pontuação considerável na tríade luminosa costumam ter saúde mental, bem-estar e satisfação com a vida em níveis mais elevados do que suas contrapartes do lado sombrio.

O único problema que os dados deixam entrever até agora é que essas pessoas tendem a se sentir responsáveis pelos outros em níveis nem sempre saudáveis. Isso poderia abrir a porteira para que sujeitos nos quais predomina a tríade sombria consigam explorá-las com mais facilidade, um tema que os psicólogos dizem querer investigar no futuro. 

Como os psicólogos classificam lados sombrio e luminoso da personalidade humana

Tríades de características pessoais ajudam a classificar pessoas

A Tríade Sombria

  • Narcisismo: orgulho, egoísmo e visão grandiosa de si mesmo
  • Maquiavelianismo: tendência a manipular os outros para seus próprios fins, falta de escrúpulos morais
  • Psicopatia: impulsividade,  falta de emoções  e de remorso


A Tríade Luminosa

  • Kantianismo: tendência a tratar as pessoas como fins em si mesmas, e não como meios para atingir objetivos
  • Humanismo: valorização da dignidade de cada indivíduo
  • Fé na humanidade: crença na bondade fundamental dos seres humanos
     

Quer saber onde você se encaixa nas duas tríades? Tente fazer o teste no endereço scottbarrykaufman.com/lighttriadscale/ (em inglês)

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.