Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
29/06/2010 - 18h27

Universidade do Havaí aprova plano para construção de telescópio gigante

Publicidade

DA ASSOCIATED PRESS

A Universidade do Havaí aprovou nesta terça (29) um plano para a construção do maior telescópio do mundo no topo do Mauna Kea, vulcão extinto em uma das ilhas do arquipélago.

A decisão abre caminho para que gestores do TMT (Telescópio de Trinta Metros, na sigla em inglês) busquem as licenças necessárias para construir as instalações em área de conservação. Os gestores esperam começar a construir no fim do ano que vem e concluir o projeto até 2018, caso consigam as licenças.

Alguns havaianos nativos se opuseram ao projeto porque ele iria violar o topo do Mauna Kea, considerado sagrado. E ambientalistas dizem que o telescópio causaria danos ao raro inseto wekiu.

Mas a universidade levou em conta o potencial oferecido para o avanço da ciência, a criação de empregos e fomento à economia local.

O espelho primário segmentado do telescópio, de quase 30 metros, proverá nove vezes a área de coleta óptica dos telescópios em uso hoje. As imagens também terão uma definição três vezes melhor.

O telescópio permitirá a observação de planetas que orbitam estrelas além do Sol, permitindo a descoberta de novos planetas e a formação de estrelas.

Mauna Kea é um ponto importante para o empreendimento porque seu topo está acima das nuvens, a 4.205 metros, oferecendo uma boa visão do céu por mais de 300 dias por ano.

A ausência de grandes cidades nas cercanias também tornam o lugar ideal devido a menor interferência de luz e de poluição.

Segundo Jean-Lou Chameau, presidente do Instituto de Tecnologia da Califórnia, o telescópio será um dos mais importantes projetos de ciência dos próximos 20 anos.

Para Chameau, apenas o Grande Colisor de Hádrons (LHC) está na mesma liga. O LHC é o maior acelerador de partículas do mundo; foi construído pelo Cern (Centro Europeu de Pesquisas Nucleares) na fronteira entre Suíca e França.

Se o TMT for construído, porém, o telescópio não deverá manter o título de maior telescópio do mundo por muito tempo. Um grupos de países europeus planeja construir o EELT (Telescópio Europeu Extremamente Grande, na sigla em inglês), com um espelho de 42 metros.

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página