Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
08/10/2010 - 09h08

Abelhas operárias fazem treinamento de voo para aprender a ir e a voltar à colmeia

Publicidade

C. CLAIBORNE RAY
DO "THE NEW YORK TIMES

Uma pesquisa conduzida por Karl von Frisch, que lhe rendeu um prêmio Nobel em 1973, delineou uma conhecida "dança" realizada pela abelha no regresso, que ajuda a comunicar a localização e a distância de uma fonte de pólen a outros membros da colmeia --também se acredita que odores percebidos ajudam a direcionar outras abelhas de volta ao mesmo local de coleta.

Cientistas solucionam morte em série de abelhas nos EUA

Agora, outros pesquisadores descreveram como as abelhas operárias fazem, inicialmente, voos de treino para aprender a navegar da colmeia ao pólen e voltar. "Esses voos são um pré-requisito para um retorno de sucesso", escreveram pesquisadores numa carta à revista "Nature" publicada em 2000.

Cientistas de Illinois e da Inglaterra discutiram o uso do radar para rastrear os voos de treino, que preparam as abelhas para se tornar "buscadoras" com cerca de três semanas de idade. Os voos têm a mesma duração, mas cada voo sucessivo é mais rápido e leva as abelhas para mais longe.

O voo geralmente foca numa estreita faixa da área ao redor, de forma que as abelhas tenham a chance de enxergar a colmeia e a paisagem de diversos pontos de vista, segundo os pesquisadores.

Os cientistas descobriram que quaisquer mudanças no caminho do voo são relacionadas ao número de voos realizados anteriormente, e não à idade cronológica da abelha, o que sugerere "um processo de aprendizado adaptado a alterações nas condições do clima, à disponibilidade de flores e às necessidades das colônias".

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página