Gregorio Duvivier

É ator e escritor. Também é um dos criadores do portal de humor Porta dos Fundos.

Salvar artigos

Recurso exclusivo para assinantes

assine ou faça login

Gregorio Duvivier
Descrição de chapéu

O Cacique Cobra Coral foi a primeira nomeação técnica do governo Jair Bolsonaro

Além disso, conseguiu a proeza de ser a primeira liderança indígena a dialogar com o presidente

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Quem vê de fora não acredita. Quem vê de dentro também não. Mas a Prefeitura do Rio contrata, todo ano, a Fundação Cacique Cobra Coral pra impedir que chova no Réveillon. Sim, existe uma parcela da disputada verba pública carioca que se destina a um espírito —ou melhor, a uma médium, já que o espírito não possui um CPF, por não se tratar de pessoa física. Não sei dizer se a médium reparte a verba com o espírito. Espero que faça um Pix. Seria injusto que ficasse com a totalidade do cachê, em se tratando de um trabalho de grupo.

Adelaide Scritori, médium paranaense, diz receber o espírito desse cacique americano que também já encarnou em Galileu Galilei e Abraham Lincoln. Depois de descobrir que a Terra se move em torno do Sol e acabar com a escravidão nos Estados Unidos, o cacique hoje trabalha garantindo a realização de grandes eventos no Rio de Janeiro através do afastamento de cumulonimbus.

Ou melhor: trabalhava. Desde que o Brasil se viu às voltas com uma crise hídrica que pode gerar um apagão, o governo Bolsonaro teve a brilhante ideia de levar o trabalho do cacique à esfera federal. Fontes revelaram que agora ele estaria trabalhando a favor da chuva e não o contrário.

Talvez tenha sido o primeiro gesto acertado da gestão Bolsonaro. De todas as suas nomeações, o cacique é a única que tem um trabalho pregresso digno de nota e goza de prestígio perante a sociedade. O cacique, arrisco dizer, foi a primeira nomeação técnica do governo Bolsonaro. Além disso, conseguiu a proeza de ser a primeira liderança indígena a dialogar com o presidente. Talvez por não ser indígena. Nem liderança.

Vale lembrar que Bolsonaro tem experiência na contratação de funcionários fantasmas. Não será a primeira vez que ele destina verba pública a seres cujo corpo físico nunca adentrou seu gabinete.

A diferença é que este fantasma, ao contrário dos cunhados do presidente, trabalha. E entrega resultado. Faz um mês que não para de chover. Não sei se sua ingerência bastará pra contornar a crise hídrica.

Céticos afirmam que não dá pra contar só com o cacique. Também seria preciso ter um plano energético de longo prazo, reverter o desmatamento e começar desde já a reflorestar.

Ajudaria se o presidente acreditasse que a Terra é redonda. Mas até pra isso não há ninguém melhor do que o cacique, já que foi ele mesmo que descobriu, em 1610, que a Terra girava em torno do Sol.

LINK PRESENTE: Gostou deste texto? Assinante pode liberar cinco acessos gratuitos de qualquer link por dia. Basta clicar no F azul abaixo.

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Leia tudo sobre o tema e siga:

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.