Painel

Editado por Fábio Zanini, espaço traz notícias e bastidores da política. Com Guilherme Seto e Danielle Brant

Salvar artigos

Recurso exclusivo para assinantes

assine ou faça login

Painel

Escolhido para cuidar de integridade na CBF foi alvo de delação premiada

Ex-secretário de Saúde do RJ disse que pagou suborno e fez favores ao advogado Eduardo Gussem, que nega

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Nomeado para o cargo de oficial de integridade da CBF (Confederação Brasileira de Futebol) em 24 de novembro, o advogado Eduardo Gussem foi alvo de delação premiada de Sérgio Côrtes, ex-secretário estadual de Saúde do Rio de Janeiro.

Reportagem do site Metrópoles mostrou que Côrtes afirmou ter pago suborno de R$ 600 mil com dinheiro de fornecedores de próteses ortopédicas em 2013 a Marfan Vieira, então chefe do Ministério Público do Rio de Janeiro, e Gussem, então subprocurador.

O ex-secretário disse na delação que foi três ou quatro vezes na residência de Gussem e também fez uma cirurgia em seu quadril sem cobrar, em São Paulo.

O advogado Eduardo Gussem (com camisa que leva o seu sobrenome) e o presidente da CBF, Ednaldo Rodrigues, durante anúncio da equipe de Integridade
O advogado Eduardo Gussem (com camisa que leva o seu sobrenome) e o presidente da CBF, Ednaldo Rodrigues, durante anúncio da equipe de Integridade - Leandro Lopes/CBF

Em troca, afirma a reportagem, Côrtes disse que recebia informações privilegiadas sobre investigações contra ele e obtinha o arquivamento de casos de irregularidades em sua pasta.

O acordo de colaboração de Côrtes foi homologado pelo Superior Tribunal de Justiça em 2022.

Procurada por meio de sua assessoria de comunicação, a CBF não quis se manifestar. Em nota à reportagem do Metrópoles, Gussem disse que os fatos são "improcedentes" e caracterizam "intoleráveis crimes" contra a sua honra. "Minha vida pública e privada, vividas de forma ilibada e sem qualquer mácula respondem por mim, assim como os 28 anos que dediquei ao MPRJ", afirmou.

Ao site da CBF, Gussem disse ter como objetivo levar "segurança para o futebol", com soluções rápidas para os questionamentos em relação a apostas e manipulação de resultados.

A entidade destaca o currículo do advogado, que foi procurador-geral de Justiça e presidente da Associação do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro.

LINK PRESENTE: Gostou deste texto? Assinante pode liberar cinco acessos gratuitos de qualquer link por dia. Basta clicar no F azul abaixo.

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.