Descrição de chapéu

Mais bom senso e menos radicalismos nas dietas, por favor

Passa mal quem vive de dietas malucas ou só come isso ou aquilo

HELOISA BACELLAR

Comer comida é essencial pra ser feliz e ter saúde. Ninguém se senta à mesa e compartilha pílulas de vitamina, que sozinhas não dão conta da nutrição.

Respeito as opções alimentares conscientes, sem loucuras e modismos. Minhas filhas só diziam "não gosto" quando experimentavam. Não gosto de ouriço e gema mole, acontece.

Respeito vegetarianos e veganos por ideologia e que levam a nutrição a sério (só não entendo a questão vegana com o mel, não acho que as abelhas sejam roubadas, elas produzem demais, coletar a sobra é natural). E compreendo bem as dificuldades e restrições sofridas por intolerantes à lactose e ao glúten, desde que haja diagnóstico.

Irritante é conviver com o "não como isso ou aquilo" por moda, gente sem noção de nada, que faz tudo errado, ignora fontes de proteínas, vitaminas e minerais. Uns resolvem não comer nada e ficam até acinzentados de tanta anemia.

Levo vegetarianos tão a sério que em livros e no site há várias receitas com vegetais. No Lá da Venda, há pratos vegetarianos e agora um vegano. No balcão, há uma lista de delícias sem glúten, sem lactose e veganas (pamonha, bolos, pão de queijo). Pelos celíacos, que sofrem com contaminação cruzada do glúten, asso pão de queijo num forno só dele.

Só que, como "dona de venda", ouço absurdos. Um senhor me diz "ouvi dizer que é descolado ser vegano" e pergunta se "pode pão de queijo", digo "sabe, veganos não comem nada de origem animal, o queijo vem do leite da vaca e o ovo da galinha" e ele "que pena, quero um bolo", falo que todos têm ovo, aí ofereço os sucos, e ele "suco natural não dá, prefiro coca zero".

Uma sorridente diz "tô feliz demais, decidi virar celíaca", arregalo os olhos e pergunto sobre o diagnóstico. "Nada de doente, só não vou comer trigo porque engorda, pizzas de queijo são minha perdição." Loucura...

O intolerante à lactose vive bem, toma enzima para consumir laticínios comuns e tem mil possibilidades sem lactose (fiz muito doce de leite para uma filha intolerante há anos). Não pode cortar tudo. Pesquisas mostram aumento de mulheres jovens com osteopenia, que evolui para osteoporose, muitas veganas, intolerantes à lactose ou que não consomem "porque não", achando que cálcio e vitamina D resolvem.

O glúten é o culpado por quase todo desconforto digestivo. A pessoa vê um caso na internet e o corta, sem cogitar que o problema possa ser outro, e passa a viver com pouco ferro, vitaminas, fibras e anemia. Celíacos sofrem muitas restrições, o glúten vai além do trio trigo/centeio/cevada e derivados, não podem correr risco da contaminação cruzada. Muita coisa tem glúten, e os produtos ainda não são muito bons.

Bom senso, por favor! Passa mal quem vive de dietas malucas ou só come isso ou aquilo. O que faz diferença são ingredientes bons, frescos e da estação, feitos de forma séria, artesanal e sustentável por pequenos, médios e grandes produtores, que já estão mudando, tudo sem venenos e outros artificiais prejudiciais à saúde.

Heloisa Bacellar
Chef, dona do Lá da Venda e autora do site e canal Na Cozinha da Helô, no YouTube

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.