Descrição de chapéu Festival Fartura

Cada dia mais sexy, jambu fará o público do Fartura tremer com vodca e spray

Planta amazônica que deixa a boca dormente brilha em bebidas, pratos, petiscos e até em um óleo erótico

Flávia G. Pinho
São Paulo

Uma flor amarela miúda, de formato arredondado, vai estremecer o Festival Fartura SP 2019. Trata-se da planta de origem amazônica Spilanthes oleracea, popularmente conhecida como jambu —mas há quem a trate por agrião-do-pará, agrião-do-brasil ou agrião-do-norte.

Descoberta por índios, a hortaliça ficou famosa pelo efeito sensorial que provoca: caule, folhas e principalmente as flores são ricos em espilantol, de propriedade anestésica. Basta mastigar para sentir a dormência na língua.

Na região Norte, não há quem não conheça o jambu. Além de obrigatório em pratos típicos como o tacacá e o pato no tucupi, é usado como erva medicinal. E não falta nos bares, infusionado com cachaça.
É de se esperar, portanto, que a erva também dê o que falar na capital paulista. 

Arquiteta de formação, a paraense Tatiana Sinimbu vai apresentar no festival os produtos da Jambu Sinimbu, que criou a partir de uma conversa com o estilista mineiro Ronaldo Fraga, amigo de longa data.

“Sempre que eu ia a Minas ele me pedia para levar as flores, mas elas são muito frágeis. Por isso comecei a pensar em técnicas de conservação. Quero fazer o mundo tremer.”

A linha, que nasceu com logomarca e rótulos assinados pelo estilista, começou com a conserva de flor de jambu e o molho de pimenta com a planta. Depois veio a cachaça —Tatiana adquire a bebida em alambiques mineiros e faz a infusão seguindo receita de seu avô.

Para o Fartura, ela reservou uma novidade: a vodca de jambu, desenvolvida no mestrado em engenharia industrial da Universidade Federal do Pará. “Não é infusão, o jambu já está presente durante o processo de destilação”, afirma.

Entre todos os produtos, porém, o que promete causar de verdade é o Tremidão, óleo ultraconcentrado de jambu em embalagem spray. Quem passar pelo estande no Espaço Produtos e Produtores será brindado com uma borrifada nos lábios como amostra. Mas o intuito é vendê-lo como brinquedo sexual.

De novo, a criação do produto teve um dedo de Ronaldo Fraga. Ele mesmo entrega: “A Gaby Amarantos me contou que as índias maceram a flor do jambu e passam no sexo. Corri para experimentar. Gente, treme tudo mesmo! Mas na mulher funciona melhor”.

Pratos com jambu também estarão em outros setores. No Espaço Chefs e Restaurantes, Diogo Sabião, do NiÁ, em Porto Velho (RO), vai servir posta de pirarucu com risoto de arroz vermelho cozido no tucupi com flores e folhas da erva.

“Para nós, a combinação de jambu e tucupi é perfeita, assim como arroz com feijão. São bons separados e ainda melhores quando estão juntos”, diz Sabião.

Na hora da sobremesa, basta caminhar até o estande da Boto Sorveteria Artesanal, de Santarém (PA). Formado na Itália, o mestre-sorveteiro Tiago Silva combina dois sabores no sorvete treme-treme: sorbet de maracujá com pimenta e cupuaçu com jambu, equilibrados sobre casquinha de cumaru ou de maracujá.

“O sabor tem duas fases. Primeiro vem a pimenta, depois se sente a dormência do jambu”, ele diz.

O chef Deocleciano Brito traz de Rio Branco (AC) para o Espaço Interativo os ingredientes necessários ao preparo, diante do público, do seu espaguete ao pesto de tucupi com jambu —as folhas cruas são maceradas com tucupi e óleo de castanha-do-pará.

Ele, que é consultor em Rio Branco, diz que para acompanhar o prato a melhor pedida é cerveja gelada. “Na região amazônica, a dupla jambu e tucupi é muito procurada para curar ressaca”, diz.

Mesma dica de harmonização vale para as friturinhas que a chef Regina Brito, de Macapá (AP), vai apresentar no Espaço Conhecimento: bolinho de maniçoba e croquete de pato ao molho de tucupi. 

Pinçadas do menu do Café Bistrô Regini’s, as receitas têm como inspiração a cozinha da tribo Tucuju, já extinta, que vivia às margens do rio Amazonas.

Festival Fartura – Comidas do Brasil São Paulo
Sábado (3), das 12h às 22h, e domingo (4), das 12h às 20h, no Jockey Club São Paulo (av. Lineu de Paula Machado, 1.263, Cidade Jardim). R$ 25 (inteira) e R$ 12 (meia), no primeiro lote. Informações e venda de ingressos: farturabrasil.com.br/blog-festivais/fartura-sao-paulo

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.