Descrição de chapéu Festival Fartura

Colunista "bruto" testa a festa da gastronomia brasileira no Festival Fartura, em SP

Marcos Nogueira experimenta bode, jambu, arroz vermelho e sorvete amazônico

Espeto de carne de bode feito pelo chef Yuri Machado, do restaurante Cá-já - Keiny Andrade/Folhapress
São Paulo

O Festival Fartura, realizado no último fim-de-semana no Jockey Club de São Paulo, ofereceu pratos e ingredientes típicos de todas as regiões do Brasil. O jornalista Marcos Nogueira, autor do blog “Cozinha Bruta”, esteve no evento, do qual a Folha é parceira, para provar receitas diferentes vendidas pelos expositores. 

Da região Nordeste, o destaque ficou para o espeto de bode moído —uma espécie de cafta– do restaurante Cá-Já, do Recife. O Sul foi representado pela polenta de milho crioulo e cogumelos do Quintana, de Curitiba, e pelo churrasco de fogo de chão do El Topador, de Porto Alegre.

A linguiça artesanal de Leo Hamu, de Brasília, representou a região Centro-Oeste. Do Sudeste, Marcos preferiu a tradição paulistana da pizza. Feito pela Queijaria, o brotinho levava quatro queijos de quatro leites: vaca, búfala, ovelha e cabra.

A região Norte apareceu três vezes na rota do Cozinha Bruta. No arroz vermelho ao tucupi com pirarucu, do NiÁ, de Porto Velho; nos sorvetes de frutas amazônicas da Boto, de Santarém (um enorme sucesso, apesar do frio); e no estande Sinimbu, de Belém, que vende produtos à base de jambu.

A erva amazônica, que provoca sensações de dormência e choque elétrico, estava em conservas, em bebidas e num spray chamado Tremidão –feito com o extrato da planta. O produto, segundo, a produtora Tatiana Sinimbu, serve para fins gastronômicos e sexuais.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.