Descrição de chapéu

Réplica: salmão de cultivo possui muito ômega 3, diz associação

Órgão que reúne produtores chilenos responde a texto do blog Cozinha Bruta

Homem com avental sujo de sangue limpa salmões com a barriga aberta dispostos de ponta cabeça

Funcionário durante preparação de salmão em unidade industrial de Puerto Montt, no Chile Luis Sergio/Bloomberg News

São Paulo

Após o blog Cozinha Bruta publicar o texto "Salmão do sushi é tão tranqueira quanto salsicha e biscoito recheado", a Asociación SalmonChile, que reúne empresas produtoras do peixe, enviou à Folha a réplica a seguir.

*

Recentemente, informações incorretas sobre as qualidades nutricionais do salmão de viveiro foram publicadas neste jornal, que consideramos importante esclarecer.

O salmão de cultivo contém ômega 3? Os ácidos graxos ômega 3 DHA e EPA são essenciais para uma dieta saudável e equilibrada. Foi demonstrado que os ácidos graxos têm um efeito positivo nos níveis de hemograma, no desenvolvimento infantil, na saúde cognitiva e no sistema imunológico. As principais fontes naturais de ácidos graxos ômega 3 na dieta são o peixe e o marisco.

Mas e quanto ao ômega 3 no salmão de cultivo? O salmão de cultivo, ao contrário do que muitos acreditam, possui uma grande quantidade de ômega 3. Tanto é assim que uma refeição de salmão de cultivo cobre totalmente a recomendação semanal de ômega 3 marinho. Um filé de 150 gramas fornece em média 1,8 gramas de EPA e DHA.

O salmão produz ômega 3 por conta própria? A biologia única do salmão faz com que ele possa produzir ômega 3. Portanto, há mais ômega 3 na carne de salmão do que na comida que o salmão come. De acordo com o Instituto Norueguês de Pesquisa Marinha, quando a ração é devidamente constituída, o salmão pode converter ômega 3 vegetal em ômega 3 marinho.

Existe uma diferença entre o ômega 3 do salmão selvagem e do salmão de cultivo? De acordo com o DR. Bruce Bistrian, professor de medicina na Harvard Medical School, “peixes são o que comem”. Na natureza, o salmão come peixes menores que são ricos em EPA e DHA —ácidos graxos ômega 3 que fornecem benefícios à saúde. “O salmão cultivado é alimentado com grãos à base de ingredientes ricos em proteínas. Embora a localização e as mudanças no ambiente possam afetar a dieta do salmão selvagem, a carne do salmão de cultivo dependerá das escolhas alimentares feitas pelo produtor. Os produtores geralmente alimentam os salmões jovens com grãos provenientes de fontes vegetais e animais e, em seguida, em um estágio posterior do crescimento do salmão, alimentam-nos com grãos de peixe ou óleo de peixe.

Trecho de entrevista com Alfonso Valenzuela B., do Laboratório de Lípides e Antioxidantes, Instituto de Nutrição e Tecnologia de Alimentos, pela revista chilena de la Nutrición: “O salmão é uma fonte importante de ácidos graxos poliinsaturados de cadeia longa ômega 3, particularmente ácido eicosapentaenóico (20: 5, EPA) e ácido docosahexaenóico (22: 6, DHA). O consumo de EPA está associado à proteção da saúde cardiovascular devido aos seus efeitos hipotrigliceridêmicos, hipocolesterolêmicos e antiinflamatórios. O DHA está associado ao desenvolvimento de função do sistema visual e nervoso. Considera-se que o consumo de ambos os ácidos graxos constitui um importante benefício para a saúde de toda a população e em todas as idades ”.

A maior parte do salmão cultivado consumido no Brasil vem do Chile. O Chile é o segundo maior produtor de salmão do mundo, com uma indústria que exporta para mais de 100 mercados no mundo e que possui certificações que garantem uma produção de classe mundial. Esses altos padrões de produção fornecem segurança alimentar que todo consumidor deve procurar ao escolher a proteína que irá consumir.

Um relatório de Julie Corliss (redatora médica com mais de 16 anos de experiência em questões de saúde do consumidor) oferece o seguinte conselho: “Não se estresse sobre qual salmão escolher. Siga a recomendação da American Heart Association de comer peixe duas vezes por semana e deixe o preço e a disponibilidade guiarem suas escolhas. Pessoalmente, opto por salmão de cultivo para a minha alimentação pelo menos uma vez por semana”

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.