Argentino vence e brasileiros sobem em lista latina do 50 Best

Predominância de peruanos encabeçando o ranking regional é interrompida por parrilla de Buenos Aires

Porto de Galinhas (PE)

A antiga rivalidade do Brasil com a Argentina chegou agora à premiação gastronômica do 50 Best Restaurants da América Latina. Ficou em 1º lugar a parrilla Don Julio, tradicional endereço de Buenos Aires, —a primeira vez que uma casa portenha ocupa o posto. O restaurante, comandado por Pablo Rivero, serve carnes de gado alimentado a pasto, cujo sabor é enriquecido por um processo de maturação.

Carne na brasa da Parrila Don Julio, de Buenos Aires
Carne na brasa da Parrila Don Julio, de Buenos Aires - Divulgação

A notícia vem na contramão de anos anteriores, em que peruanos encabeçaram a lista (em 2019, Maido e Central, na capital do Peru, alcançaram respectivamente 1º e 2º lugares).

Em sua oitava edição, o evento aconteceu nesta quinta (3) de forma virtual devido à Covid-19. A lista é o braço regional do The World’s 50 Best, considerado o Oscar do setor e cuja versão mundial foi cancelada devido à pandemia.

Mesmo assim, os brasileiros têm razões para festejar: são nove restaurantes na lista, com ganhos de posições para cinco deles, e um estreante, o Corrutela, que fica nas redondezas da Vila Madalena, em São Paulo, comandado pelo chef César Costa.

A Casa do Porco, em São Paulo, foi o brasileiro mais bem colocado, em 4º lugar (subindo duas posições), superando um restaurante de peso da lista, o mexicano Pujol, que fica na Cidade do México.

“Fico feliz pelo bloco brasileiro. Esse ano vimos que nosso veleiro está indo para o lado certo. Fico feliz por aqueles que subiram, por quem entrou. O Brasil está andando junto”, diz Jefferson Rueda, chef da Casa do Porco.

A sequência, entre os brasileiros, continua com Oteque (12º, subindo 11 posições), D.O.M. (13º, caiu trêsposições), Lasai (21º, três posições acima), Maní (23º, caiu 5 posições), Evvai (26º, subiu 14 posições), Mocotó (33º, subiu 10 posições), Manu (44º, caiu dois) e Corrutela (50º, estreante). O Brasil, entretanto, teve uma baixa: o restaurante Olympe, no Rio de Janeiro —que ainda não reabriu.

A cerimônia também fez uma pausa para relembrar restaurantes fechados e pessoas que perderam a vida durante o ano, entre eles o chef peruano Ciro Watanabe.

Casal sorri para a câmera, abraçado, em restaurante
O casal Janaína e Jefferson Rueda, donos do bar Dona Onça e do restaurante A Casa do Porco - Divulgação/Rogério Gomes


O Brasil é um dos poucos países com uma cena gastronômica expressiva que não sediou uma comemoração do 50 Best da América Latina, que já aconteceu em Lima (Peru), Bogotá (Colômbia), Cidade do México (México) e Buenos Aires (Argentina).

Como parte da programação de 2020, a chef Janaina Rueda, do Bar da Dona Onça e d’A Casa do Porco, já havia sido eleita ícone da América Latina em 2020.

Anunciada no fim de outubro, a categoria chamada American Express Icon Award destaca a mobilização da chef para organizar demandas do setor de restaurantes durante a pandemia e sua atuação voluntária em um projeto para a melhoria da merenda de escolas estaduais.

Em 2020, o 50 Best voltou esforços para apoiar a recuperação de um setor profundamente abalado pelos meses de fechamento e pela crise econômica que se seguiu à chegada da Covid-19.

Uma das novidades neste ano foi a lista “El Espíritu de América Latina”, com restaurantes que impactaram positivamente suas comunidades durante a pandemia —no Brasil, está entre os representantes a chef Morena Leite (Grupo Capim Santo).

Entre as ações realizadas estão também o “50 Best for Recovery”, leilão em apoio a bares e restaurantes de todo mundo que beneficiou casas como o restaurante Origem, em Salvador, Bahia, que recebeu U$ 5.000 (R$ 25.809).

A cerimônia, que sempre reúne os chefs premiados em um concorrido evento, foi realizada de forma virtual neste ano por causa da pandemia. Antes disso, em março, a organização cancelou a cerimônia global, marcada para acontecer na Antuérpia, Bélgica —e ainda sem data para acontecer em 2021.

A organização do prêmio é formulada a partir de um júri composto por mais de 250 jornalistas, foodies, chefs e restaurateurs da América Latina, com a mesma proporção de mulheres e homens —cada jurado vota em dez restaurantes que tenham sido visitados obrigatoriamente dentro dos últimos 15 meses. O período de votação deste ano foi de janeiro de 2019 a março de 2020.

Veja os vencedores do Latin America’s 50 Best Restaurants 2020
1. Don Julio
(Buenos Aires, Argentina)
2. Maido
(Lima, Peru)
3. Central
(Lima, Peru)
4.Casa do Porco
(São Paulo, Brasil)
5. Pujol
(Cidade do México, México)
6. Boragó
(Santiago, Chile)
7. El Chato
(Bogotá, Colômbia)
8. Mishiguene
(Buenos Aires, Argentina)
9. Rosetta
(Cidade do México, México)
10.Osso
(Lima, Peru)
11. Quintonil
(Cidade do México, México)
12. Oteque
(Rio de Janeiro, Brasil)
13. D.O.M.
(São Paulo, Brasil)
14. Pangea
(Monterrey, México)
15. Alcalde
(Guadalajara, México)
16. Tegui
(Buenos Aires, Argentina)
17. Sud 777
(Cidade do México, México)
18. Kjolle
(Lima, Peru)
19. Chila
(Buenos Aires, Argentina)
20. Isolina
(Lima, Peru)
21. Lasai
(Rio de Janeiro, Brasil)
22. Astrid y Gastón
(Lima, Peru)
23. Maní
(São Paulo, Brasil)
24. Mayta
(Lima, Peru)
25.Harry Sasson
(Bogotá, Colômbia)
26. Evvai
(São Paulo, Brasil)
...

33. Mocotó
(São Paulo)
...

44. Manu
(Curitiba, Brasil)
...

50. Corrutela
(São Paulo, Brasil)

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.