Ação do Exército em favela do Rio traz desconfiança a moradores

Militares montaram bloqueios nas entradas de complexo de favelas

SÉRGIO RANGEL
Rio de Janeiro

No início da noite desta segunda-feira (19), equipes do Exército montaram barreiras nas principais entradas do Complexo do Chapadão. Atentos à movimentação, os moradores dos bairros de Guadalupe e Anchieta foram discretos e evitaram comentar a movimentação. 

Centenas de militares entraram em pontos estratégicos do complexo de favelas, que se estendem pelos bairros de Guadalupe, Pavuna e Anchieta.

O Chapadão é dominado pelo tráfico e por gangues de roubo de cargas.

“Essa intervenção é apenas uma maquiagem. Já vi isso outras vezes. Daqui a um tempo, vai tudo continuar como era antes”, disse a motorista Cristina Piranga, 37.

Ela disse que mora numa das entradas “mais barra pesada” do complexo. “Tiroteio, bailes intermináveis e cargas sendo vendidas na minha porta são uma constante. Essa intervenção só vai expor o filho dos outros”, disse a motorista, apontado para um soldado do Exército, posicionado numa das barreiras instaladas pelos militares. 

“Não acredito que esses garotos têm mais experiência para subir o morro que um policial militar”, acrescentou. 

O aposentado Jair Matias, 58, disse que também não acreditava no sucesso da intervenção na comunidade.

“Aqui tem muito bandido. Tem que colocar uns 200 tanques desses”, afirmou Matias, apontado para o Guarani (veículo blindado), estacionado na rua Fernando Lobo.

“Vamos ver o que vai acontecer. Torço pelo sucesso, mas não acredito muito”, completou.

Nas duas primeiras horas de operação na entrada da rua Fernando Lobo, a Folha presenciou apenas um gesto de apoio aos militares.

Uma criança de dois anos pediu ao pai para cumprimentar um soldado. 

Até 19h40, o clima era de tranquilidade. Os militares revistavam os carros que entravem e deixavam a comunidade. Nenhum tiro foi disparado.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.