Apelo à vacinação contra febre amarela em SP usa até megafone

Postos de saúde mudam estratégia para aumentar índice de imunização contra febre amarela

Fabio Pagotto
São Paulo

A fim de aumentar a cobertura de vacinação contra a febre amarela na região sul de São Paulo, a Secretaria Municipal da Saúde usou no fim de semana estratégias diferentes das usuais.

A AMA/UBS Integrada Jardim Míriam I Manoel Soares de Oliveira, no Jardim Míriam, criou uma sala de vacinação ambulante em uma van, com três vacinadoras e um funcionário com um megafone, para chamar a população. 

Em postos de saúde na zona sul, agentes usam megafone para convocar moradores para vacinação
Em postos de saúde na zona sul, agentes usam megafone para convocar moradores para vacinação - Taba Benedicto/Folhapress

Para tomar a dose, bastava apresentar o RG.

A van percorreu vias do bairro, das 8h às 17h, convocando quem ainda não tinha se imunizado. 
"Apenas 18% das pessoas registradas nessa unidade foram vacinadas até agora. Tivemos que criar novas maneiras de aumentar esse índice", afirmou a gerente da Jardim Míriam I, Dilene Garzon

Para ela, comodismo e boatos sobre reações à vacina estão entre os principais motivos para a baixa cobertura vacinal no bairro. "As pessoas acreditam em notícias falsas de redes sociais e acabam não se vacinando por medo de terem reação, o que é muito raro", disse.

Além da ação com a van, a vacinação na própria unidade foi mantida.

Em outra estratégia alternativa, a equipe da AMA/UBS Integrada Parque Doroteia, na região de Interlagos, também na zona sul, montou um posto de vacinação dentro de um supermercado da região.

O posto avançado funcionou das 8h às 14h. A instrumentadora cirúrgica Josciara Lopes da Silva, 30, aproveitou a oportunidade para se imunizar. "Meus horários são irregulares, eu não consegui tomar a vacina antes", disse ela, que ficou sabendo da iniciativa pelas redes sociais. 

"Uma amiga minha me marcou em uma postagem e eu vi que poderia vir. Peguei apenas duas pessoas na minha frente, foi bem rápido. Aprovei a iniciativa", falou a instrumentadora.

A UBS Cidade Júlia, por sua vez, espalhou cartazes em todas as áreas do bairro convocando a população a comparecer no sábado na unidade. 

Segundo balanço da secretaria estadual da Saúde divulgado na sexta-feira (23), apenas 45% do público esperado para a campanha de vacinação já foi imunizado. A Baixada Santista é a região com menor cobertura (31%). Na capital, a taxa ficou em 54,3% da população esperada para a campanha.
ministério

Na última quarta-feira (22), o ministro da Saúde, Ricardo Barros, disse à Folha que a pasta estuda ampliar, até novembro deste ano, a vacinação de febre amarela para todo o Brasil.

Atualmente, a vacinação contra a febre amarela exclui algumas regiões do país, até então consideradas de menor risco para a doença —caso de alguns Estados do Nordeste e parte da região Sul e Sudeste, por exemplo.

Agora
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.