Doria diz que Prefeitura de SP conta foliões nas ruas com drones

Reportagem mostrou que estimativa de público era um 'apanhado' de números

Artur Rodrigues
São Paulo

O prefeito João Doria (PSDB) afirmou no fim da noite desta sexta-feira  (9) que a medição do público do Carnaval é feito por meio de drones da GCM (Guarda Civil Metropolitana).

Nesta semana, a Folha mostrou que a prefeitura fez a contagem do público do pré-Carnaval por meio de apanhado de números sem metodologia. Na ocasião, a assessoria de Doria não citou o uso de drones.

"Nós temos um sistema de tecnologia da GCM através de drones e helicópteros", disse. Segundo ele, os drones utilizam um sistema de identificação por calor para fazer a medição.

Ele também afirmou que a cidade usa dados dos blocos para adicionar ao levantamento próprio. Em tom de brincadeira, o prefeito convidou o Datafolha para fazer a medição.

Doria chegou ao sambódromo do Anhembi aproximadamente meia hora antes do previsto. Desde que chegou, tem sido abordado por muitas pessoas para tirar selfies.

O prefeito João Doria e o vice Bruno Covas no desfile das escolas de samba de São Paulo
O prefeito João Doria e o vice Bruno Covas no desfile das escolas de samba de São Paulo - Artur Rodrigues/Folhapress
O secretário das Prefeituras Regionais, Cláudio Carvalho, mostrou à Folha imagem aérea que, segundo ele, foi do desfile do Monobloco na última semana. "[A medição] não é chute", disse.
 
Já o secretário de Segurança Urbana, José Roberto Rodrigues, admitiu que os números anunciados se tratam de uma estimativa. "Queremos chegar o mais próximo possível do exato, que seria possível apenas se contássemos cada pessoa", disse.
 
Ele explicou à Folha que as imagens captadas pelos drones são analisadas por um aplicativo chamado Crowdsize. O programa mede a quantidade de pessoas em determinado espaço, em diferentes densidades. 
 
De acordo com ele, a prefeitura tem usado três drones para fazer esse trabalho. No Carnaval, também serão usadas fotos aéreas tiradas pela Polícia Militar. 
 
Segundo ele, ainda assim a prefeitura utiliza outras fontes que não apenas as fotos aéreas, como as estimativas feitas pelos blocos que não foram monitorados. 
 
Só no pré-Carnaval foram 187 blocos na cidade.
 

Apanhado de Números

O público de 3,95 milhões de pessoas no pré-Carnaval de rua de São Paulo enaltecido pela gestão João Doria (PSDB) é uma estimativa feita a partir de um apanhado de dados de fontes distintas e sem nenhuma metodologia uniforme de contagem.

A contagem utilizada até agora pela prefeitura, porém, deixa uma série de dúvidas sobre os números. A administração diz apenas que a quantidade de foliões no sábado (3) e no domingo (4) foi baseada "nos números fornecidos pelos próprios blocos e no monitoramento feito pela própria administração, por meio da GCM, da CET e da Secretaria de Prefeituras Regionais".

A partir dessa informação, a Folha quis saber quais foram as metodologias de contagem aplicadas, mas a prefeitura não respondeu. Como a gestão informou que parte da estimativa é baseada em números dos próprios blocos, a reportagem também solicitou uma lista de blocos com seus respectivos públicos, mas também não houve resposta. Um total de 187 blocos desfilou na cidade no último final de semana.  

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.