Maior traficante de fuzis dos EUA para o Brasil é preso na Flórida

Frederick Barbieri responde a processos por tráfico de armas no Brasil 

Leandro Prazeres Silas Martí
Nova York | UOL

A Polícia Civil do Rio de Janeiro confirmou, na manhã deste sábado (24), a prisão de Frederick Barbieri, conhecido como o maior traficante de fuzis oriundos dos Estados Unidos para o Brasil. Barbieri foi preso em sua casa em Fort  Pierce, no Estado da Flórida, onde vivia pelo menos desde 2010. Com ele, as autoridades americanas apreenderam uma carga de aproximadamente 40 fuzis que seriam enviados ao Brasil.

Barbieri responde a processos por tráfico de armas no Brasil. Ele é apontado como o responsável por uma carga de 60 fuzis apreendidas no Aeroporto Internacional Tom Jobim, no Rio de Janeiro, em junho de 2017. A carga, avaliada em R$ 4,8 milhões, foi a maior apreensão de fuzis no Brasil em 10 anos. 

Carga com 60 fuzis apreendidos no aeroporto do Galeão em 2017
Carga com 60 fuzis apreendidos no aeroporto do Galeão em 2017 - Reprodução

A prisão de Barbieri foi feita por agentes do ICE (Serviço de Imigração e Alfândega dos Estados Unidos). Segundo o porta-voz da agência, ele foi preso na noite desta sexta-feira (24). 

Segundo o delegado Fabrício de Oliveira, titular da Desarme (Delegacia Especializada em Armas, Munições e Explosivos) do Rio de Janeiro, Barbieri foi preso por conta do seu envolvimento com o tráfico de armas entre o Brasil e os Estados Unidos.

 
De acordo com Fabrício de Oliveira, Barbieri era conhecido no mercado clandestino de armas por abastecer a diversas facções criminosas ao mesmo tempo. "Ele não trabalhava com exclusividade para esta ou aquela facção. Ele enviava armas para diversas facções ao mesmo tempo", disse.

Ele diz que a polícia fluminense repassou informações sobre Barbieri às autoridades americanas depois da apreensão de fuzis em junho do ano passado. Uma equipe da Polícia Civil chegou a ser enviada aos Estados Unidos para auxiliar nas investigações.

"Como o Barbieri era o chefe da quadrilha, a gente acredita que tenhamos desmantelado essa quadrilha. Ele era o maior traficante de fuzis dos Estados Unidos para o Brasil", disse Fabrício de Oliveira.

Barbieri é alvo de mandados de prisão expedidos pela Justiça brasileira, mas o delegado Fabrício de Oliveira acredita que a possibilidade de Barbieri ser extraditado é remota. Isso porque o traficante obteve a cidadania americana e, por isso, ele deverá responder pelos crimes nos Estados Unidos.

O delegado disse que o ICE deverá fornecer informações detalhadas sobre a prisão de Barbieri na próxima segunda-feira (26). 

Nestor Yglesias, o representante do Departamento de Segurança Interna, disse não poder dar detalhes sobre as acusações contra Barbieri, agora detido numa penitenciária da Flórida.

Segundo o Departamento de Recuperação de Ativos e Cooperação Jurídica Internacional, do Ministério da Justiça e Segurança Pública, o pedido de extradição de Frederik Barbieri já foi apresentado para o governo americano, mas houve um pedido de documentação complementar.

O suspeito é aguardado num tribunal federal em Miami na próxima segunda, quando será informado sobre os crimes pelos quais está sendo investigado pelas autoridades. 

Frederik Barbieri vivia nos EUA desde 2010
Frederik Barbieri vivia nos EUA desde 2010 - Polícia Civil do Rio de Janeiro
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.