Marielle é homenageada na Câmara, com presença de irmã e companheira

'Ela virou um símbolo de esperança', disse Mônica Benício em sessão solene

Angela Boldrini
Brasília

"A Marielle se transformou em algo muito maior, ela virou um símbolo de esperança", afirmou a companheira da vereadora Marielle Franco (PSOL-RJ), Mônica Benício, nesta quinta-feira (22), na Câmara dos Deputados. "A voz dela não pôde ser calada com a morte do corpo dela", disse.

Mônica e a irmã da vereadora assassinada no Rio de Janeiro, Anielle Silva, na quarta (14) participaram de homenagem em sessão solene no Congresso. 

Emocionada, a companheira de Marielle cobrou a apuração do crime. "As autoridades não devem só a mim a satisfação do que aconteceu com a minha mulher, porque isso não vai trazer ela de volta. Devem ao mundo o respeito e a satisfação do que aconteceu nesse crime bárbaro", disse. 

Anielle também lembrou a irmã, e pediu respeito à família. "Muita coisa está sendo dita que não é verdade", disse. Após sua morte, Marielle foi alvo de ataques com informações falsas propagadas nas redes sociais. 

 

A irmã da ativista agradeceu as manifestações de apoio que se multiplicaram depois do crime e afirmou que não acredita que Marielle tenha sido morta pelas causas que defendia. 

"Eu quero entender por que fizeram isso com ela. Era pelas causas que elas defendia? Eu acho que não, porque se fosse muita gente era pra estar morta", declarou. "Independente de posição política, ninguém merece morrer como ela morreu, ninguém."

Marielle foi assassinada na zona norte do Rio de Janeiro após sair de um encontro com mulheres negras, alvejada por quatro tiros. Seu motorista, Anderson Gomes, também foi morto no ataque. 

Os criminosos fugiram sem roubar nada. Uma assessora que estava no banco de trás do carro com a vereadora sobreviveu. 
 

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.