'Se as coisas desandam no Rio, seria mau exemplo para o país', diz Temer

Presidente falou sobre a situação da segurança pública na cidade durante evento no interior de SP

Araripe Castilho
Sorocaba
Temer desce de avião da FAB ao lado de assessores
Michel Temer chega ao aeroporto de Sorocaba - Beto Barata/Presidência da República

O presidente Michel Temer afirmou, em evento em Sorocaba, no interior paulista, nesta sexta-feira (2), que o Rio seria um mau exemplo para o país caso a situação da segurança pública tivesse se agravado antes da decisão de intervenção federal na área, promovida desde o dia 16.

"Realmente a situação lá estava muito delicada e, se as coisas desandam lá no Rio de Janeiro, elas servem de mau exemplo para o país", afirmou Temer, ao lado do ministro da Saúde, Ricardo Barros, em cerimônia para entrega de ambulâncias do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência).

O governo federal quer implantar rastreadores em todas as ambulâncias do Brasil, segundo o ministro, porque seria necessário coibir o tráfico de armas e drogas dentro dos veículos. "Eu nem sabia que os bandidos usavam ambulâncias para transportar armas e drogas. Os criminosos estão criativos", disse Temer. 

Segundo o ministro, uma empresa será contratada para colocar o sistema de rastreamento em todas as ambulâncias do país. "Assim, as próximas trocas dos veículos não serão mais feitas por certificado de antiguidade, mas por aquelas que mais rodam”.

Com o equipamento, ainda segundo Barros, o uso indevido dos veículos da saúde e até a utilização de ambulâncias “fakes” serão coibidos. “Isso é uma coisa que acontece, infelizmente. Alguém coloca armas ou drogas em uma ambulância, liga as sirenes, e ninguém vai parar o veículo [para averiguação].”

Barros não informou, em entrevista, o valor que será gasto com o rastreamento, mas disse que a licitação já está em andamento e que todas as unidades, federais, estaduais e municipais terão o sistema. 

SEGURANÇA

Em discurso a prefeitos e secretários da Saúde que acompanharam a entrega das ambulâncias nesta sexta, Temer citou o que chamou de avanços na economia obtidos durante sua gestão na Presidência, como o crescimento de 1% do PIB (Produto Interno Bruto), após dois anos de recuo.

Após citar o lema “Ordem e Progresso”, do atual governo, Temer falou sobre as ações na área da segurança. “Tive gestos ousados, eu diria. Eu fiz coisas que ninguém teve coragem. Colocamos o teto dos gastos públicos, a fizemos a renovação [da lei] trabalhista, que gera empregos, reforma do ensino médio. O progresso nós alcançamos, o que precisamos agora é de ordem.”

Apesar de mencionar conquistas do governo desde a posse, Temer não citou a Reforma da Previdência, que o planalto tentou aprovar na Câmara dos Deputados, mas não conseguiu votos suficientes. A alteração nas regras da aposentadoria também era um dos objetivos do presidente.

Foram entregues 300 ambulâncias do Samu, a serem distribuídos a 219 municípios em 25 estados. "Além de recursos para as ambulâncias, foi destinado mais R$ 1 bilhão para compra de 1.000 vans para transporte sanitário eletivo e 6.500 ambulâncias brancas – usadas no transporte de pacientes”, afirmou em nota o Ministério da Saúde.

Ainda de acordo com a pasta, as medidas foram possíveis após ações que geraram economia R$ 4,6 bilhões na atual gestão. O governo prevê renovar 65,7% da frota do Samu até o final deste ano. “A expectativa é chegar a 2.173 novas unidades”.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.