Descrição de chapéu violência

Bando explode bancos, queima ônibus e foge com joias e dinheiro em Minas

Ação da quadrilha durou mais de 1 hora e deixou a cidade de Passos sem energia

Interior de agência bancária destruída por uma quadrilha com ao menos 15 homens em Passos, em Minas Gerais
Interior de agência bancária destruída por uma quadrilha com ao menos 15 homens em Passos, em Minas Gerais - Hélder Almeida/Folha da Manhã
Marcelo Toledo
Ribeirão Preto

Uma quadrilha com cerca de 20 criminosos explodiu dois bancos, deixou parte de Passos (MG) sem energia elétrica, queimou um ônibus para interditar uma rodovia e fugiu com dinheiro e joias na madrugada desta quarta-feira (11).

Desde o último dia 6, oito bancos foram atacados na região sul de Minas. 

Essa última ação começou à 1h30 desta quarta com explosões nas agências do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal e durou mais de uma hora.

Segundo relatos de policiais, no Banco do Brasil o grupo levou dinheiro que estava no cofre e, na Caixa, dinheiro e joias guardadas no setor de penhor.

Após os roubos, os assaltantes, armados com fuzis e metralhadoras, atiraram em transformadores de energia elétrica, o que deixou parte de Passos no escuro —o município tem 115 mil habitantes e está a 350 km de Belo Horizonte e a 390 km de São Paulo.

Policiais militares trocaram tiros com os criminosos, que conseguiram fugir em quatro ou cinco veículos. Há suspeita de que ao menos um dos ladrões tenha sido ferido a tiros.

Na rodovia MG-050, dois ônibus foram queimados pelos assaltantes e usados para bloquear as duas pistas e atrapalhar a ação policial --a interdição gerou cinco quilômetros de congestionamento. Parte da quadrilha passou a ser procurada na zona rural de Passos, pois teria se separado dos outros veículos.

Os reflexos do roubo ficaram visíveis e atrapalharam a rotina dos moradores. Além dos dois bancos fechados, parte da cidade permaneceu sem energia na manhã e as aulas na rede municipal de ensino e no campus da Uemg (Universidade do Estado de Minas Gerais) foram suspensas.

“Foi pânico total, a gente nunca espera algo assim. Parecia que não ia acabar nunca mais”, disse o vendedor Jeferson Silva, que mora próximo à região dos ataques.

O prefeito de Passos, Carlos Renato Lima Reis (PSD), publicou comunicado em que diz estar em contato direto com os comandos das polícias Civil e Militar e que se solidariza com os moradores da cidade. “[As polícias] estão tomando todas as providências necessárias para oferecer segurança a todos os moradores da nossa cidade. Ressalto a importância de unirmos forças para prosseguir a nossa luta em prol da segurança da nossa cidade.”

DINAMITE

A polícia encontrou um carro usado no crime com munições. No ataque aos bancos, algumas bananas de dinamite não explodiram, o que fez com que o grupo de operações especiais da PM se deslocasse ao local para desarmá-las, o que foi feito durante a tarde.

O Banco do Brasil informou, por meio de sua assessoria, que não há previsão de normalização do atendimento na agência de Passos e que clientes que necessitarem podem se dirigir à agência de Itaú de Minas, aos postos do Banco Postal ou às lotéricas da cidade. O banco não informou o montante levado pelos criminosos.

A Caixa, por sua vez, informou que informações sobre crimes em suas agências são repassadas exclusivamente às autoridades policiais e que a agência está fechada para manutenção. 


 

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.