Descrição de chapéu Agora cracolândia violência

Tumulto na cracolândia termina com saque a lojas e quebra-quebra

Confusão entre usuários e guardas civis começou durante serviço de limpeza

Amanda Gomes
São Paulo | Agora

​Ao menos quatro lojas foram saqueadas e depredadas por um grupo de usuários de drogas na região da cracolândia, no centro de São Paulo, na noite desta quarta (11). Segundo a PM, a confusão aconteceu após uma ação da GCM (Guarda Civil Metropolitana).

A Polícia Militar disse que a Guarda acompanhava funcionários da prefeitura na limpeza diária, na região da praça Júlio Prestes, e que os usuários foram dispersados do “fluxo” (concentração de viciados). Segundo comerciantes, houve confronto entre guardas e viciados.

Os usuários de droga se espalharam para ruas ao redor das praças Júlio Prestes e Princesa Isabel. Uma loja de sapatos que fica na rua Santa Ifigênia foi arrombada e teve vários produtos levados.

Uma lotérica na avenida Duque de Caxias também foi arrombada, depredada e furtada. “Ainda estamos contando o prejuízo. Só sei que levaram um monitor”, disse uma funcionária.

Ainda na Duque de Caxias, uma agência do Bradesco teve vidros quebrados e um salão de cabeleireiro foi furtado. Segundo a PM, 15 homens foram abordados e estavam sendo averiguados.

Os usuários montaram barricadas e fizeram fogueiras. A PM disse que estava no local para dar apoio ao trabalho de contenção do grupo.

“Todo dia é isso que acontece aqui, e nós que sofremos e ficamos com o prejuízo”, disse outro comerciante.

De acordo com o coletivo A Craco Resiste, que atua junto aos usuários na região, ao menos um homem ficou ferido depois de ter sido atingido por estilhaços de bomba de gás. A PM não confirma.

O caso foi registrado no 2º DP (Bom Retiro). Procurada na noite desta quarta, a prefeitura não se manifestou sobre o que aconteceu.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.