Policial federal é morto a tiros em tentativa de assalto no Rio

Homem caminhava no Recreio dos Bandeirantes quando foi abordado por assaltantes

Policial federal aposentado foi morto durante assalto no Rio
Policial federal aposentado foi morto durante assalto no Rio - Reprodução
Rio de Janeiro

O policial federal aposentado Luís Carlos Dias foi morto na noite desta terça-feira (26) durante uma tentativa de assalto no Recreio dos Bandeirantes, zona oeste do Rio. 

O agente caminhava por uma rua do bairro por volta das 23h quando homens em um carro Space Fox branco anunciaram o assalto

O policial teria se negado a entregar seu telefone celular. Segundo relatório do 31º Batalhão da PM (Recreio), as informações preliminares dão conta de que o agente foi colocado dentro do veículo e depois jogado para fora metros mais adiante. Nesse momento, ele teria sido atingido com tiros disparados pelos assaltantes. 

Ferido, o policial chegou a caminhar até uma outra rua para pedir ajuda, mas não resistiu e morreu antes do socorro chegar. O agente deixa duas filhas. 

A Delegacia de Homicídios periciou o local e encontrou ao menos quatro capsulas de pistola. O relatório do batalhão que atendeu a ocorrência diz que Dias foi atingido com "vários" tiros, sem especificar a quantidade. 

O agente é o primeiro da Polícia Federal morto no Rio este ano. Seu nome entra para a estatística de 63 policiais mortos no estado de janeiro a junho. 

Procurada, a PF ainda não se manifestou. O presidente do Sindicato do Departamento de Polícia Federal do estado do Rio, Luiz Carlos Cavalcante, lamentou a morte do policial e afirmou que cobrará das autoridades a elucidação do crime a prisão dos autores. 

"Esperamos que essa não seja mais uma morte para a estatística covarde de homicídios no Brasil, de quase 63 mil mortes por ano. Esperamos também que não seja mais um na estatística triste da baixa elucidação de crimes no país", disse ele. 

Num intervalo de 12 horas, ao menos três policiais foram baleados no Rio, dois dos quais morreram, o que fez subir a estatística para 63 policiais mortos no estado. Do total, 58 eram PMs e quatro, policiais civis. Um era policial federal. 

O agente Eduardo Freire Pinto, conhecido como Paquetá, foi morto com três tiros no Engenho Novo, zona norte da cidade. Ele foi morto durante uma tentativa de assalto na porta de casa quando voltava do mercado.

A Polícia Civil não divulgou maiores detalhes das duas mortes ocorridas na terça e nesta quarta. 

Um segundo policial civil também foi baleado, na manhã desta quarta-feira (27). Ele estava de carro, parado em uma rua do Andaraí, zona norte, quando criminosos anunciaram um assalto, por volta das 10h. O policial teria reagido e os assaltantes atiraram. Ainda não há informações sobre o estado de saúde do agente. 

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.