Policial militar de folga é morto a tiros de fuzil no litoral de SP

Carro onde estava o PM foi atingido por mais de 50 disparos em Guarujá

Carro do policial foi atingido por mais de 50 disparos de fuzis
Carro do policial foi atingido por mais de 50 disparos de fuzis - Divulgação/Polícia Civil
 
Ricardo Hiar
São Paulo

​O policial militar José Aldo dos Santos, 49, foi assassinado a tiros de fuzil na manhã desta quarta (26), na região de Vicente de Carvalho, bairro periférico de Guarujá, no litoral sul de São Paulo. 

O carro em que ele estava, um Honda Civic, foi atingido por mais de 50 disparos. O crime aconteceu por volta das 7h30, logo após o PM ter deixado sua mulher no embarque da travessia da balsa entre Guarujá e a cidade de Santos. 

De acordo com informações da polícia, o PM estava de folga e não trajava uniforme. Ele entrou para a corporação em 1995 e era conhecido na região por ter uma forte atuação contra o tráfico de drogas. Atualmente estava lotado na cidade de Bertioga, também no litoral paulista.

Segundo Fabian Umbelino, chefe de investigação do 2º Distrito Policial de Guarujá, pelo menos três indivíduos ainda não identificados ultrapassaram o carro do policial e o obrigaram a parar.

Três homens saíram do carro portando fuzis calibre 556 e 762 e iniciaram a série de disparos contra o José Aldo, que não teve tempo de reagir e morreu no local.

O cabo da PM José Aldo, morto a tiros de fuzil em Guarujá
O cabo da PM José Aldo, morto a tiros de fuzil em Guarujá - Divulgação/Polícia Civil

A polícia não descarta que o crime pode ter sido motivado pelo trabalho do policial no combate ao tráfico. Ele havia relatado a familiares e amigos que estava recebendo muitas ameaças.

A investigação também constatou que, após ser morto, Santos teve a arma furtada. A equipe de investigação da Polícia Civil já tinha pistas sobre o autor do furto e tentava localizá-lo na tarde desta quarta.

Após fugirem, os criminosos que atiraram contra José Aldo incendiaram e abandonaram o carro que utilizaram em Monte Cabrão, território do município de Santos localizado entre duas áreas de Guarujá, a cerca de 20 km do local do homicídio. Ninguém foi preso até o momento.​

Morte de policiais

Levantamento inédito feito pela Folha em maio de 2018 com base em relatórios sigilosos da PM de São Paulo mostra que, de cada dez ataques a policiais, em nove eles acabam feridos ou mortos. A maioria em roubos, envolvendo soldados.

Os dados mostram ainda que em cerca de 23% dos crimes, além de atacar o policial, os bandidos ainda levam a arma dele. E há episódios em que o PM é morto com a própria pistola, aquela que carregava para se proteger —isso ocorreu em 4% dos casos.

Esses números são resultado de análise feita pela Folha em 491 relatórios de PMs vítimas, documentos elaborados de 2006 a 2013 por equipes da Corregedoria da PM especializadas em investigar ataques desse tipo no estado.

Segundo os dados, desses 491 policiais com registro de violência, 218 foram mortos e 233 ficaram feridos —sendo ao menos 81 deles atingidos na cabeça por tiro ou paulada. No total, só 40 saíram ilesos, o equivalente a 8% do total.​

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.