Anvisa aprova nova vacina contra gripe exclusiva a idosos acima de 65 anos

Oferta em clínicas particulares deve ocorrer após definição de preço

Natália Cancian
Brasília

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) aprovou o registro de uma nova vacina contra influenza para idosos com 65 anos ou mais, um dos grupos considerados de maior risco de desenvolver complicações da gripe.

A nova vacina, chamada de Fluzone Sênior, protege contra três tipos de vírus —influenza A H1N1, A H3N2 e influenza tipo B—, conforme recomendação anual da OMS (Organização Mundial de Saúde), que avalia os vírus de maior circulação.

O produto é fabricado pela empresa Sanofi Pasteur. Segundo a fabricante, testes indicaram eficácia até 24,2% maior em comparação à vacina trivalente aprovada atualmente no Brasil e utilizada nas campanhas públicas de vacinação e em clínicas particulares.

De acordo com a diretora-médica da empresa, Sheila Homsani, isso ocorre porque a vacina desenvolvida para idosos têm uma dose mais alta de antígenos, o que faz com que a população produza uma quantidade maior de anticorpos contra o vírus e, assim, fique mais imune à doença.

“O Brasil possui uma população idosa crescente que precisa se proteger mais contra a gripe. O cuidado com esse grupo é uma necessidade notada há algum tempo, pois os adultos a partir dos 65 anos são, particularmente, mais vulneráveis a complicações associadas ao vírus Influenza. Isso acontece porque o sistema imunológico é mais fraco e a resposta de anticorpos não é a mesma de indivíduos mais jovens”, afirma.

A nova vacina continuará a ser indicada em apenas uma dose, com reforço anual contra os vírus de maior circulação no período.

O produto, porém, é contraindicado para pessoas com reação alérgica grave à proteína do ovo. Em indivíduos com febre e infecção aguda, a vacinação deve ser postergada até a recuperação, informa a empresa.

O aval para o registro foi publicado na segunda-feira (15) no Diário Oficial da União. Inicialmente, a vacina deve estar disponível apenas em clínicas particulares, o que deve ocorrer após definição da Cmed (Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos) sobre o preço máximo de venda. Ainda não há previsão do valor.

Segundo a empresa, antes do Brasil, a vacina já havia sido aprovada em 2010 nos Estados Unidos. Também já foi aprovada na Austrália e Canadá. A estimativa é que ao menos 67 milhões de idosos já tenham sido vacinados.

Atualmente, infecções causadas pelo vírus influenza respondem por seis entre dez principais causas de internação entre idosos. No Brasil, o período de maior circulação do vírus da gripe vai de maio até agosto.

No SUS, a vacinação contra a gripe é ofertada em períodos específicos a idosos acima de 60 anos por meio de campanhas de vacinação. Para isso, o Ministério da Saúde usa uma vacina produzida pelo Instituto Butantan, que recebeu transferência de tecnologia da Sanofi Pasteur.

De acordo com a pasta, uma decisão sobre eventual inclusão de novas vacinas no SUS depende de análise de eficácia, efetividade e custo-benefício pela Conitec, comissão que avalia novas tecnologias na rede pública. Não há previsão de incorporação de novas vacinas contra influenza no momento, informa.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.