Capitão do Exército é 5º militar morto sob intervenção federal no Rio

Policial militar também foi morto na região central

São Paulo

Morreu na manhã deste domingo (7) o capitão do Exército Diego Martins Graça, que havia sido ferido em confronto do Complexo do Alemão em setembro.

O militar estava internado desde o último dia 15, quando foi atingido durante uma operação na zona norte do Rio de Janeiro. Os disparos que atingiram o capitão saíram de uma escola.

Graça é o quinto militar morto desde o início da intervenção federal no estado.

Em agosto, um segundo-sargento foi morto em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. No mesmo mês, três militares (um cabo e dois soldados) morreram em operação das forças de segurança nos complexo do Alemão e da Penha.

POLICIAL MILITAR

Um policial militar foi executado na noite de sábado (6) na Pedra do Sal, no centro do Rio de Janeiro. Marcal Teles de Brito, 37, era soldado do 40º Batalhão de Polícia Militar (Campo Grande).

Segundo a Polícia Militar, Brito estava acompanhado de outro homem quando foi sequestrado e executado. O caso será investigado pela Delegacia de Homicídios.

INTERVENÇÃO FEDERAL

A maioria da população do Rio de Janeiro defende prorrogar a intervenção federal na segurança pública, prevista para acabar em 31 de dezembro deste ano. Segundo pesquisa do Datafolha realizada no início de setembro, 72% dos moradores do Estado são a favor da continuidade da medida para além de seu prazo final. Dentre os entrevistados, 21% são contrários à prorrogação, 4% não sabiam e 4% eram indiferentes.

Em entrevista à Folha em agosto, Raul Jungmann, ministro da Segurança Pública, afirmou que a intervenção deveria acabar no prazo inicialmente previsto, porque os responsáveis pela medida já demonstraram não querer a sua renovação.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.