Risco de queda de viaduto faz CPTM interromper trens em Pinheiros

Circulação foi parada entre as estações Pinheiros e Ceasa a pedido da Prefeitura de SP

Guilherme Seto
São Paulo

A CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) interrompeu a circulação de trens entre as estações Pinheiros e Ceasa  da linha 9-esmeralda a pedido da Prefeitura de São Paulo, que nesta sexta-feira (16) afirmou que existe risco de desabamento de viaduto sob o qual passa a linha de trem.

Localizado na pista expressa da marginal Pinheiros, próximo ao shopping e ao parque Villa Lobos, o viaduto cedeu na madrugada de quinta-feira (15), gerando um degrau de cerca de 2 metros.

Com a interrupção, a CPTM também decidiu fechar as estações Villa Lobos-Jaguaré e USP-Cidade Universitária desde as 10h desta sexta-feira (16). A operação regular da linha 9-esmeralda só será retomada após aval da gestão Bruno Covas (PSDB), que atestará a segurança do viaduto, sob responsabilidade da prefeitura paulistana.

A CPTM acionou o sistema Paese (ônibus gratuito) para transportar usuários no trecho interrompido. Os passageiros poderão fazer as viagens entre Pinheiros e Grajaú e entre Ceasa e Osasco.

A linha 9-esmeralda da CPTM transporta média de 600 mil passageiros por dia útil. A 9-esmeralda é a segunda mais movimentada entre as sete linhas da CPTM, que é o sistema de trens da região metropolitana de São Paulo. 

Em toda sua extensão, a linha 9-esmeralda conecta-se ainda com as linhas 8-diamante, da CPTM, além da linha 4-amarela e 5-lilás,  do metrô. 

A prefeitura solicitou a parada dos trens após constatar o risco de queda da estrutura. Segundo o secretário municipal de Infraestrutura Urbana e Obras, Vitor Aly, as vibrações geradas pelos trens estavam gerando movimentações no viaduto.

"Existe a possibilidade de ruína? Existe. Inclusive, já ligamos para o secretário de Transportes Metropolitanos e pedimos para a CPTM diminuir a velocidade dos trens, porque eles estavam vibrando e fazendo com que as estruturas se movimentassem. O momento agora é de criticidade e nós vamos acelerar os processos de escoramento para que a gente consiga, depois de estabilizar a estrutura, dar prosseguimento nas obras de segurança e recuperação da estrutura", disse Aly.

A pista expressa foi totalmente bloqueada por volta das 4h da quinta (15), no começo do feriado da República, e deverá permanecer assim pelo menos até terça (20), Dia da Consciência Negra, último do feriadão prolongado

É provável que a interdição, pelo menos parcial, se estenda para além do feriadão, implicando em complicações maiores no trânsito a partir de quarta-feira (21).

Foram interditados quase 20 km da pista expressa da marginal devido ao ocorrido. João Octaviano, secretário de Transportes, disse que a solução gera problemas, mas é a melhor possível para evitar que as pessoas fiquem "presas na marginal".

"Estamos pegando todos lá atrás, na entrada da marginal, e jogando na pista local. É um desconforto, mas é a melhor solução operacional, porque senão você vai congestionar a pista expressa e vai acontecer o que aconteceu ontem antes de fazermos a intervenção: muitos veículos ficaram parados por muito tempo na expressa, pois de fato ali só passa um veículo por vez", disse.

A marginal Pinheiros é a segunda via mais movimentada de São Paulo, atrás apenas da Tietê, e liga a cidade a diferentes rodovias e avenidas. Em apenas uma hora, no pico de tráfego, 13 mil veículos passam pelas oito faixas da marginal, incluindo a pista local. Cinco dessas faixas estão agora interditadas.

Em um dia comum, trafegam 450 mil veículos nos dois sentidos da marginal Pinheiros.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.